segunda-feira, 7 de abril de 2014

DJ BERTAZI DEVERIA TER PRESTADO ATENÇÃO EM "PANIC"


No brega-popularesco, funciona o seguinte. Existe a piada e existe o ridículo, que no entanto você é aconselhado a não rir. São expressões do ridículo e do patético, do grotesco e do piegas, que você tem que levar a sério, sob pena de ser visto como "preconceituoso".

É por isso que são preocupantes, por exemplo, iniciativas como o mashup reunindo É O Tchan com Smiths, duas coisas completamente antagônicas (em que pesem as imprudentes fãs do grupo baiano cismarem em paquerar fãs do grupo inglês, sem ter qualquer noção de falta de afinidade).

Se o "mexape" fosse uma piada, vá lá. Mas não é. O DJ Bertazi, o infeliz que realizou a montagem extraindo a voz de Morrissey em "This Charming Man" - numa iniciativa sem qualquer relação com o excelente remix que DJs novaiorquinos fizeram com a música, há 30 anos atrás, versão que foi bem tocada na Fluminense FM - , queria fazer algo "provocativo", mas "revolucionário".

É aquele papo. "Derrubar totens sagrados", "fazer provocação", "ousar de forma inusitada", "desafiar a supremacia do bom gosto" e outras besteiras que fazem com que a intelectualidade "bacaninha" de antropólogos, sociólogos, cineastas documentaristas, jornalistas culturais etc fiquem de queixo caído e água na boca.

Ninguém pode achar graça. A iniciativa não foi feita como "piada". Como em tudo no brega brasileiro. Expressa-se o ridículo e o patético, mas você tem que achar isso o máximo e achar que tais "expressões" são fruto de "muita luta" e "muito sofrimento", porque vieram de gente faminta, miserável e em busca de algum "espaço nobre" na cultura popular brasileira.

Blá, blá, blá. Só que o "provocativo" DJ e seu "maravilhoso" trabalho se esqueceu que os Smiths também lançaram uma música chamada "Panic", aquela que pede o enforcamento do DJ consagrado, porque a música tocada por ele e seus adeptos nada dizem sobre a vida de um homem comum (no caso o homem simples inglês, como Morrissey, autor da letra).

A história da música se deu quando Morrissey e Johnny Marr estavam ouvindo a programação de uma rádio da BBC. De repente, veio a notícia da tragédia com a usina nuclear de Chernobyl (então da União Soviética, hoje da Ucrânia) e o locutor, depois que deu a notícia, anunciou uma música do Wham!, inócua dupla pop que lançou o cantor George Michael.

Irritado, Morrissey decidiu escrever a letra, vendo que uma tola musiquinha pop foi tocada depois de uma notícia triste. Se Morrissey reagiu assim a isso, imagine se ele soubesse que um grupo ainda mais idiotizado, como o É O Tchan, se misturou à voz do cantor inglês numa montagem de um DJ (!).

Segue aqui, portanto, a letra da música "Panic", o resultado da indignação de Morrissey, que se tornou um poderoso hino de rock alternativo que, para desespero dos DJs das FMs comerciais (mesmo as ditas "roqueiras"), termina em fade out, termo técnico para música que se encerra com o volume abaixando e o andamento melódico aparentemente em continuidade. DJs costumam "mutilar" faixas quando começa o fade out.

Do contrário da postagem anterior, em que aproveitei uma tradução existente de "Angel, Angel, Down We Go Together", eu mesmo fiz uma tradução para "Panic", na letra que coloco aqui abaixo. Adapte a letra para cidades brasileiras, substitua disco (disco music) por "pagodão baiano" ou "funk" e teremos uma letra que corta feito uma faca afiada nas "provocações" de certos oportunistas engraçadinhos.

Panic

Letra de Morrissey - Música de Johnny Marr

Panic on the streets of London
Panic on the streets of Birmingham
I wonder to myself
Could life ever be sane again
On the Leeds side-streets that you slip down
I wonder to myself
Hopes may rise on the Grasmeres
But honey pie, you're not safe here
So you run down
To the safety of the town
But there's panic on the streets of Carlisle
Dublin, Dundee, Humberside
I wonder to myself

Burn down the disco
Hang the blessed d.j.
Because the music that they constantly play
It says nothing to me about my life
Hang the blessed d.j.
Because the music they constantly play

On the Leeds side-streets that you slip down
On the provincial towns that you jog'round
Hang the d.j., hang the d.j., hang the d.j.
Hang the d.j., hang the d.j., hang the d.j.
Hang the d.j., hang the d.j., hang the d.j.
Hang the d.j., hang the d.j.
Hang the d.j., hang the d.j

Pânico

Pânico nas ruas de Londres
Pânico nas ruas de Birmingham
Eu pergunto a mim mesmo
Poderia a vida se tornar sã novamente
Nas ruas de Leeds por onde você anda
Eu pergunto a mim mesmo
As esperanças podem surgir nos Grasmeres (*)
Mas minha querida, você não está segura
Você caminha
Para a segurança da cidade
Mas há pânico nas ruas de Carlisle,
Dublin, Dundee, Humberside
Eu pergunto a mim mesmo.

Botem fogo na discoteca
Enforquem o consagrado DJ
Porque a música que eles constantemente tocam
Nada me diz a respeito de minha vida
Enforquem o consagrado DJ
Porque a música que eles constantemente tocam

Nas ruas de Leeds por onde você anda
Nas cidades interioranas por onde perambula
Enforquem o DJ, enforquem o DJ, enforquem o DJ
Enforquem o DJ, enforquem o DJ, enforquem o DJ
Enforquem o DJ, enforquem o DJ, enforquem o DJ
Enforquem o DJ, enforquem o DJ,
Enforquem o DJ, enforquem o DJ

(*) Grasmere é um conhecido vilarejo turístico inglês

Nenhum comentário: