sábado, 15 de março de 2014

ANTIGAMENTE GRUPO VOCAL ERA "CONJUNTO", NÃO "BANDA"


Preocupa a crescente estupidificação cultural brasileira, que se multiplica feito tumor maligno nas mídias sociais. E isso inclui tantas coisas, que só mesmo um jogo de cintura para combater todo tipo de irregularidade, aceitando o preço de sofrer "arranhões" pelo reacionarismo de muitos internautas.

Eu estava numa loja de discos de Copacabana e vi um disco de um grupo chamado The Diamonds, um grupo vocal dos anos 60. Não vou comentar aqui sobre o grupo, mas a verdade é que na capa do referido LP, fotografado pelo meu celular, há o termo escrito em destaque, em cor vermelha e caixa alta: "O mais estilizado conjunto vocal da América".


Nesta segunda imagem, eu fotografei o detalhe e, numa edição do Corel Photo Paint, destaquei a palavra "conjunto vocal", portanto o vendedor do disco não precisa se assustar com a marca, que só existe digitalmente aqui.

Hoje se chama conjunto vocal de "banda", numa grande amostra de bitolamento cultural de muitas pessoas. Se é um amontoado de pessoas envolvidas numa atividade musical, tudo virou "banda". Até um cantor e uns dançarinos que mal conseguem fazer um coro.

Isso, eu não canso de frisar, é um grande desrespeito às classes dos músicos, já que banda é, em português bem claro, coletivo de músicos, e portanto se refere a um conjunto musical que, pelo menos, tenha metade de seus integrantes como instrumentistas.

A burrice reinante que chama todo mundo de "banda", sobretudo por parte de pessoas que acham que todo coletivo de gente é "galera", cria verdadeiras aberrações, que se multiplicam em sítios consecutivos na Internet, vários deles bastante visitados por internautas.

Mesmo a deturpação do termo inglês band - que neste caso se refere a "bando", "grupo", num quase falso cognato, já que aqui o termo não se traduz como "banda" - parece desnortear muitos dos internautas metidos a sabichões mas cuja compreensão de inglês não vai além de um precário cursinho feito às pressas.

O vício de linguagem beneficiou até mesmo o Menudo, grupo vocal cujos integrantes não compunham, não arranjavam nem tocavam instrumentos. Fiquei estarrecido porque até um avoado crítico da revista de rock pesado Roadie Crew (?!) havia chamado o Menudo de "banda". Imagine então as Capricho e Atrevida da vida...

A falta de discernimento é generalizada, a gente reclama dessa situação grave e há quem não goste. Tem gente que acha que ser idiota é ser feliz. Em outros tempos, até o cidadão mais rasteiro sabia ter alguma capacidade de percepção. Hoje tem até universitário que comete burrices constrangedoras. Assim fica muito complicado viver neste país!!

Nenhum comentário: