domingo, 10 de novembro de 2013

BRITTANY MURPHY E ATOR DE "MINHA MÃE É UMA PEÇA" QUASE ESTIVERAM NUM MESMO FILME


Existem curiosidades que certos acidentes da vida impedem de acontecer. É o caso da saudosa atriz Brittany Murphy, que teria feito 36 anos não fosse seu falecimento em 2009.

Escalada para o elenco de Os Mercenários (The Espendables), Brittany quase esteve no mesmo filme que o ator brasileiro Paulo Gustavo, conhecido por fazer um papel de Dona Hermínia, personagem criado por ele para a obra de humor Minha Mãe é Uma Peça.

Pois Paulo Gustavo participou, no primeiro Os Mercenários, fazendo o papel do Soldado Vilenan, no filme que, além dos EUA, foi filmado no Brasil, inclusive em Niterói.

Brittany não viveu para iniciar as gravações, mas ela teria feito a namorada do personagem Tool, interpretado por Mickey Rourke - que, como Brittany, também estava no primeiro Sin City - e teria feito também um número musical.

Os Mercenários é um filme comercial, de pancadaria etc etc. Mas devolveria o sucesso a Brittany, que estava fazendo trabalhos pouco badalados, apesar de seu inegável talento conquistado em vários filmes.

Além disso, se Brittany tivesse vivido, ela, por razões da divulgação do filme, teria visitado o Brasil, além de unir a carreira de atriz e produtora com a de compositora e cantora (e que cantora!). E nós, no Brasil, com toda a certeza acolheríamos a gata com o maior carinho.

A VERGONHA DE UM LANCHE DESPERDIÇADO


O que é o desperdício de dinheiro diante de um lanche que não foi totalmente consumido. Anteontem, na filial da loja Horti Fruti da Rua Moreira César, em Niterói, uma freguesa havia comprado um lanche, que não é lá tão barato assim, e deixou o resto do suco na quantidade que aparece nesta foto.

Eu esperei a freguesa sair para fotografar o desperdício, que só não foi tão vergonhoso quanto o que eu vi no São Gonçalo Shopping, em que porções de batatas fritas eram abandonadas em grande quantidade por uma família de fregueses apressadinhos.

Isso é totalmente vergonhoso. Tantas pessoas adorariam receber um copo de suco ou um lanche de graça, tantas pessoas sofrem uma fome a ponto de procurarem restos de comida nas lixeiras para se alimentarem.

Quantas pessoas abandonam lanches, almoços, marmitas, sejam nas ruas, nas lanchonetes, em outros ambientes, depois de orgulhosamente pedirem grandes quantidades de comida e bebida só para mostrarem que têm muito dinheiro para gastar.

Numa das viagens nos EUA, meu pai soube de um caso de um grupo de militares brasileiros que, durante um almoço, queria abandonar o resto de comida na metade da refeição. O chefe do setor de alimentos do refeitório chegou-se ao grupo e ordenou os rapazes a terminar o almoço até o fim.

É lamentável que haja casos de desperdício assim no nosso país de tanta gente com fome e sede. Quem pode comer e beber não dá o devido valor a essas necessidades.