terça-feira, 19 de novembro de 2013

LOCUTORA DA MPB FM FALA EM CIMA DE MÚSICA DOS TITÃS


Por volta de 12:30 h de hoje, a rádio MPB FM cometeu um vício que, em plena era de MP3 e das gravações musicais disponíveis na Internet, soa como se fosse uma gafe terrível.

No referido horário, a emissora estava tocando a música "Televisão", na gravação original de 1985 do LP homônimo, até que, na parte final da música, quando Arnaldo Antunes, então integrante da banda que fazia a voz principal na canção, fazia seu "ô-ô-ô-ô-ô" com os demais membros fazendo coro, quando a locutora interviu anunciando a música e falando amenidades.

Pressa dos operadores? Ou será que os operadores de rádio FM não vivem a era da Internet? Hoje é inadmissível emissoras de rádio mutilarem músicas com vinhetas ou falação de locutor em cima, algo que já é condenado pelos ouvintes há mais de 30 anos.

O vício de locutor falar em cima das músicas é tal que o humorista Jô Soares chegou a criar um personagem, interpretado por ele mesmo, satirizando os locutores que tagarelam quando mal é tocada uma canção.

Certa vez, em 2004, numa lan house em Salvador, estava ouvindo a Brasil 2000 FM, rádio alternativa de São Paulo já numa fase mais mediana, e aí veio um locutor engraçadinho (!), William Mayer, falando em cima em toda uma introdução de uma música do grupo de rock Hole, só "liberando" quando a vocalista Courtney Love começava a soltar sua voz.

Muitas rádios ditas "roqueiras" já foram derrubadas porque locutores falavam em cima das músicas, seja na introdução, seja no final. As "aventuras" da Rede Transamérica FM no segmento rock também foram desmoralizadas por causa disso. A Cidade FM, do RJ, e a 89 FM, de SP, também fizeram horrores despejando falação e vinhetas nos sucessos do rock tocados.

Mas isso não é um problema que incomoda somente nas rádios que exploram o rock. A falação em cima por parte de locutores ou a inserção de vinhetas em cima das músicas desmoraliza o rádio FM como um todo.

Os operadores de FM também não gostam de músicas com fade out (processo da música terminar com o volume abaixando, como se seu som continuasse mas se distanciasse de nós), ceifando as músicas logo na primeira abaixada de volume.

Ultimamente o pop convencional, por essas razões, praticamente eliminou o fade out por esses motivos. Até Madonna - cujo primeiro LP tinha todas as faixas terminando em fade out - praticamente abandonou essa técnica

Mas se até os locutores de uma 89 FM falam em cima até quando canções não terminam abaixando, é sinal que o rádio FM anda muito anacrônico. E ainda há gente que acha que o rádio FM brasileiro está supermoderno e que, tecnica, tecnologica e profissionalmente está na vanguarda da Comunicação brasileira. Quanta balela!

Que se preparem os comunicadores das emissoras AM que migram ou já estão no dial FM, que costumam guilhotinar músicas só tocando duas estrofes e dois refrões das mesmas, entre a introdução sob muita falação do locutor e com ele falando em cima já no meio da música, durante o solo instrumental, e depois a mesma é cortada bem antes do final.

Portanto, ponto negativo para a MPB FM, que até não costuma investir nessa prática infeliz de locutor falando em cima das músicas. Mas o que ocorreu há poucos minutos é constrangedor, e isso desmoraliza o rádio FM de tal forma que atualmente quem quer ouvir música em FM vai para o YouTube porque lá as músicas são registradas na íntegra. Com fade in, fade out e tudo.

Nenhum comentário: