quinta-feira, 14 de novembro de 2013

COM AUDIÊNCIA MENOR QUE A DECLARADA, RÁDIO GLOBO CARIOCA PRIORIZA O RÁDIO FM


Com uma audiência bastante inferior à registrada no Ibope - consta-se que são cerca de 20% dos dados oficiais -, a Rádio Globo do Rio de Janeiro decide aposentar a sintonia AM e já lança propaganda divulgando apenas a sintonia em FM: 89,5 mhz.

A emissora é um dos carros-chefes do hype do "Aemão de FM" em escala nacional, depois que o Governo Federal, atendendo à pressão dos empresários da telefonia móvel, decidiu aposentar o rádio AM transferindo as emissoras mais rentáveis para o dial FM.

Embora a medida seja anunciada com festejos em portais e colunas de rádio na Internet - geralmente pendendo para porta-vozes dos interesses empresariais - , a migração das AMs para o dial FM favorecerá a concentração de poder dos grupos de rádio e sepultará de vez a segmentação cultural, sobretudo musical.

Além disso, a concorrência de emissoras poderá levar a um colapso no mercado, prevendo novas demissões de profissionais por conta da baixa audiência que não é compensada pela manipulação de dados do Ibope.

Essa manipulação se dá sobretudo quando se calcula as sintonias individuais em ambientes coletivos - inclusive estabelecimentos comerciais - com o número de transeuntes e consumidores que se encontram no lugar, "anabolizando" a audiência para um único ouvinte que "atrai" para si milhares de pessoas que, na verdade, nem estão aí para a rádio que ele ouve.

Daí que muitas emissoras que são registradas como tendo mais de 15 mil ou até mesmo mais de 150 mil ouvintes, na verdade, possuem apenas de um sexto a até mesmo um sessenta avos da audiência registrada no Ibope.

Atualmente, mesmo as emissoras AM que já eram transmitidas também em FM sofrem de baixa audiência. Se hoje o rádio FM tem pretensões de ser o "novo AM", ele já sofre, em dose ainda maior, as dores sofridas pela Amplitude Modulada que, antes agonizante, agora caminha para seu falecimento.

Isso porque a concorrência da televisão, sobretudo durante as transmissões esportivas, e da Internet, simplesmente está derrubando muitas emissoras que transmitem em FM programação tipo AM, independente de serem retransmissoras ou não de AMs.

Dois exemplos da baixa audiência do "Aemão de FM" são a Rádio Metrópole, de Salvador, que não conseguiu eleger seu dono, Mário Kertèsz, para a Prefeitura de Salvador, em 2012, o que indica fraca influência que desmente a suposta popularidade da emissora.

Já a Rádio Bradesco Esportes FM, considerada "a última definição de Aemão de FM", demitiu vários profissionais devido à baixa audiência, o que não poupou sequer o filho do falecido jornalista Joelmir Beting, Mauro Beting.

Aparentemente, a Rádio Globo não teme crises de audiência e, por razões óbvias, não se incomodará em perder a concorrência nas transmissões esportivas para o canal de TV Sportv, até porque são do mesmo dono. No entanto, a força da Rádio Globo não é mais a mesma, já que seu formato tornou-se ao mesmo tempo anacrônico e diluído para adaptar-se ao comercialismo de FM.

Mas o que é certo é que o mercado do "Aemão de FM", mesmo abatendo por definitivo a Amplitude Modulada, já se encontra seriamente enfraquecido com a concorrência da Internet e da televisão, e sobretudo pela falta de adesão de pessoas que a cada dia estão ocupadas demais para ouvir rádio.

Nenhum comentário: