sexta-feira, 26 de julho de 2013

MICK JAGGER: UM GAROTÃO DE 70 ANOS


Mick Jagger chega aos 70 anos de idade em boa fase. Sua banda, The Rolling Stones, está bem à vontade no palco e suas apresentações atraem públicos de várias gerações com essa verdadeira lição de rock'n'roll feita por músicos de larga experiência.

Ele faz aniversário hoje, 26 de julho, dia do idoso, e no entanto Mick dá uma grande lição de jovialidade não somente pelo senso de humor e pela repectividade que ele tem aos jovens, mas pela sua surpreendente energia como cantor e intérprete, andando e dançando nos palcos da mesma forma que fazia na década de 60, até com mais desenvoltura que no começo da carreira.

Afinal, Mick era mais "comportado" do que hoje, e olha que os Rolling Stones tinham "má fama" por conta de seu rock mais cru e pelo jeito rebelde que os fazia "rivais" dos Beatles. O que era puro mito, porque os Beatles eram tão rebeldes quanto os Stones, ambos negociavam para não se "atropelarem" no lançamento de compactos e na segunda fase dos Fab Four, o entrosamento com os Stones se tornou mais evidente.

O rock tem para Mick Jagger um compromisso de gratidão, afinal Mick tornou-se um dos mais dinâmicos artistas na sua performance ao vivo, e se os Beatles inspiraram muitos jovens do mundo inteiro a formar bandas de rock, os Rolling Stones eram o grande exemplo de como deve ser uma banda de rock ao vivo.

Os próprios Beatles também valorizaram os concertos ao vivo, tanto que, não podendo mais tocar diante dos gritos histéricos das fãs, abandonaram os palcos e viraram banda de estúdio, criando muitas experimentações. Mas os Stones continuaram se apresentando ao vivo, sendo um contraponto e um excelente complemento à banda de Liverpool nas preciosas lições do rock.

Mick Jagger até causou escândalos, polêmicas etc.. Mas, quando é para fazer música, Mick dava conta de seu recado, como cantor e compositor, além do talento de interpretar também canções alheias, sejam as de Buddy Holly ou de Robert Johnson. Ou mesmo "I Wanna Be Your Man", dos "inimigos" Beatles.

Portanto, numa época em que a cultura rock, pelo menos no Brasil, sucumbe a um pragmatismo caricato e forçado, um "rock" mais preocupado com poses, caras e bocas do que com a cultura musical e o estado de espírito, o exemplo de Mick e seus 51 anos à frente dos Rolling Stones faz muitas bandinhas novas ficarem constrangidas consigo mesmas.

Além do mais, ver que o lançamento em disco do concerto no Hyde Park em Londres, este ano, tornou-se sucesso absoluto no iTunes, um dia após chegar às lojas, é um grande desafio para aqueles que acreditam que rock é só grunge e poser metal.

Portanto, longa vida a Mick Jagger, muita saúde e sucesso para esse garotão de 70 anos.

Nenhum comentário: