quarta-feira, 24 de julho de 2013

COM SONEGAÇÃO, GLOBO ENTRA NO RITMO DA "PRIVATARIA TUCANA"


Obviamente, não vai dar no Bom Dia Brasil. E muito menos nos comentários de Miriam Leitão, a não ser para tentar algum desmentimento no caso. Mas o que vai abalar os bastidores das Organizações Globo é uma reportagem de Amaury Ribeiro Jr. e Rodrigo Lopes que revelará detalhes sobre o escândalo da sonegação fiscal da famosa corporação midiática dos filhos do "doutor" Roberto Marinho.

Amaury é conhecido pelo livro A Privataria Tucana, que revelou os escândalos financeiros dos políticos do PSDB, durante os governos de Fernando Henrique Cardoso, incluindo conexões com o esquema do banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity. A veracidade das informações abalou as estruturas do poderio político-midiático, irritando até o "imortal" Merval Pereira. E o livro vendeu muito bem.

Um bom "prato" desse cardápio informativo é o fato de que o Tesouro Nacional bloqueou várias contas e bens da Globopar (Globo Comunicações e Participações S/A), empresa ligada às OG, devido a uma dívida ativa de R$ 178 milhões. A Procuradoria da Fazenda Nacional do Rio de Janeiro chegou a bloquear os bens da Infoglobo e Empresa Globo Ltda., mas os irmãos Marinho recorreram da decisão na 26ª Vara de Justiça do Rio de Janeiro e obtiveram a liberação dos bens.

A reportagem chegou às bancas hoje, no jornal Hoje em Dia, de Belo Horizonte, mas seus efeitos não tardarão a vir e serão fortes. Afinal, não é hoje que a Globo anda muito abalada, tendo sofrido até mesmo ataques de vandalismo em atitudes radicais consequentes aos protestos populares, que incluem a corporação na pauta da indignação popular.

As Organizações Globo são conhecidas, nos bastidores da Receita Federal, como uma das maiores inadimplentes. A corporação dos irmãos Marinho, nos últimos dois anos, recebeu não menos que 776 notificações da Receita Federal sobre as dívidas que a megaempresa tem com o Imposto de Renda.

O número de notificações é escandaloso. E se observarmos o quanto a Rede Globo ganha de dinheiro arrecadado com o programa Criança Esperança, isso é assustador. Afinal, deixemos de ingenuidade: o projeto "filantrópico" arrecada muito dinheiro e apenas uma pequena parte vai para as instituições sociais. O resto vai para seus empresários.

Os primeiros dados de sonegação fiscal foram divulgados por Miguel do Rosário, jornalista que faz o blogue O Cafezinho, que apresentou em primeira mão documentos que a Globo havia sonegado à Receita Federal durante o governo Fernando Henrique Cardoso, devendo um valor na ordem de R$ 183,14 milhões, se levar em conta valores não atualizados. Se considerar valores atualizados e somar a eles juros e multa, a dívida, no processo da RF em 2006, equivaleu a R$ 615 milhões.

É um escândalo digno de ser publicado em livro, e envolve até mesmo a compra de direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002, que, conforme você leu no Mingau de Aço, foi uma grande armação, um "penta" fabricado por Ricardo Teixeira em parceria com a Globo. E, para agravar, a Globopar era uma holding usada para "limpar" as contas de empresas que recolhem mais dinheiro público em forma de publicidade oficial, incluindo os "bônus por volume" que "anabolizam" as verbas recebidas.

Esses incidentes são um alerta justamente para isso. Afinal, a Dilma Rousseff comete o equívoco de alimentar com "bônus por volume" as verbas da grande mídia para esta publicar propaganda do Governo Federal. Desse modo, a presidenta sustenta a mídia que a desmoraliza.

Sem defender com firmeza a regulação da mídia, Dilma e seu ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, consentem com o poder das corporações midiáticas como a Globo. E permite que a Globo cometa irregularidades financeiras enquanto exerce seu poder de formadora de opiniões e até de artífice do inconsciente coletivo brasileiro e manipuladora dos valores da cultura popular brasileira. Isso é muito grave.

Uma empresa que manipula a sociedade e está com situação suja no IRRF. O escândalo da sonegação vai dar muito o que falar.

Nenhum comentário: