domingo, 6 de janeiro de 2013

OUVINTES DA UOL 89 FM DEMONSTRAM PRECONCEITO


Ouvintes da UOL 89 FM já começam a mostrar seus claros defeitos. Eles demonstram um preconceito quase total com o rock mais antigo, espinafrando os clássicos do rock como se eles fossem algo antiquado e nada empolgante.

A postura revive o antigo conflito que os fãs de rock autêntico e o público da 89 FM e sua então congênere carioca, a Rádio Cidade, tiveram em 2004, e que fez derrubar as duas "rádios rock" em 2006, pela péssima repercussão da postura dos ouvintes dessas duas rádios comerciais.

Com a volta da 89 FM sob o rótulo de "A Rádio Rock" e todos os seus erros, como o repertório hit-parade e um tipo de locução igualzinho ao das rádios de dance music, seus ouvintes também teriam de expressar os mesmos preconceitos em relação a tudo e até mesmo ao próprio rock.

São pessoas que pouco se interessam em ler livros, em conhecer fatos históricos, em superar suas memórias curtas. Eles, por mais que ataquem o pop dançante e seus ídolos, acabam tendo a mesma mentalidade de qualquer fã de One Direction, Gummy Bear, Britney Spears, Pitbull e outros.

Até mesmo as gírias e os hábitos são os mesmos. Portanto, não há como acreditar que se trata de um público diferenciado como alardeia a publicidade em torno da UOL 89 FM. Pelo contrário, é um público juvenil convencional, conservador e reacionário, que apenas é "rebelde" na forma, através de elementos vestuários, gestuais e outros aspectos banalizados.

Uma coisa é certa. Esse negócio de dizer que a UOL 89 FM é "a verdadeira rádio rock" não passa de um papo furado. E que seus ouvintes também não são verdadeiros fãs de rock. Afinal, o que eles desconhecem é que a verdadeira cultura rock não se preocupa com essas questões de velho ou novo, mas com a qualidade musical.

Isso é tão certo que, se não fosse o rock antigo, bandas como Foo Fighters, Black Crowes, Coldplay, Kasabian e Oasis (agora dividido entre o Beady Eye e a carreira solo de Noel Gallagher) simplesmente não teriam existido. E o vocalista e guitarrista do Muse, Matt Bellamy, é filho de um ex-guitarrista dos Tornados, grupo inglês anterior à beatlemania.

Rock não mede tempo para ser bom. Rock é uma questão de música, não de pouca idade. E além disso a UOL 89 FM também insere muita bosta poser, emo e pós-grunge como se isso valesse por ser "mais novo". Grande erro.

Nenhum comentário: