segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

FMS LEVAM A PIOR NA AUDIÊNCIA DO JOGO ENTRE CORINTHIANS E CHELSEA


O jogo de ontem entre o Corinthians e o time inglês Chelsea no Mundial de Clubes do Japão, realizado de manhã, representou uma séria desvantagem na audiência das FMs que apostam no formato "Aemão" e transmitem partidas esportivas.

Nas rádios pesquisadas no eixo Rio-São Paulo, por exemplo, a sintonia observada nas emissoras FM - levando em conta que, em cada capital, há uma média de pelo menos duas FMs dedicadas ao "Aemão" - era de uma pessoa para cada grupo de, no mínimo, 20 mil pessoas, uma audiência considerada ínfima.

As sintonias pesquisadas nas cidades mostram que os ouvintes que preferiram sintoniar rádio FM estavam isolados, constituindo em audiências individuais. Já a audiência da televisão tornou-se bem maior, sendo constante em cada bar observado nas ruas das cidades, além da sintonia em residências. E em todas elas uma única sintonia puxava um número mínimo de três espectadores.

Há também a audiência nos sítios da Internet que, ainda que seja pequena e geralmente individual, segue um nível de crescimento inverso ao do rádio FM, que descresce completamente.Isso mostra a decadência que o rádio FM anda sofrendo, mais acelerada do que a do rádio AM.

Visando não decepcionar o mercado publicitário, que já não confia no rádio, as FMs chegam a registrar, nos institutos de pesquisa, um índice de audiência que, na verdade, corresponde a 50 ou 200 vezes a audiência observada na realidade.

Por exemplo, se uma FM com roupagem de AM registra uma audiência de 60 mil ouvintes por minuto, o que faz com que os colunistas de rádio, alguns de forma exagerada, estimem a audiência a mais de um milhão de ouvintes, a FM, na realidade concreta, das ruas, na verdade estaria tendo, na mesma ocasião pesquisada, um número não muito superior de 120 a 150 ouvintes.

Maior vantagem está na televisão paga, onde a audiência cresce de forma surpreendente, sobretudo com as facilidades que as operadoras oferecem. E se o rádio FM queria ser o "novo rádio AM", ele anda sofrendo na pele os mesmos dramas que as AMs sofrem nos últimos 25 anos.

Nenhum comentário: