terça-feira, 18 de dezembro de 2012

A LIÇÃO DE ROCK'N'ROLL DOS ROLLING STONES


Os Rolling Stones encerraram sua turnê comemorativa dos 50 anos de surgimento em Newark, Nova Jersey, EUA, em concerto transmitido no Brasil pelo canal Multishow. E quem viu percebeu o quanto de energia os quatro veteranos músicos da banda inglesa têm de sobra.

O repertório, que além dos maiores clássicos do grupo (de "The Last Time" a "Start It Up"), incluiu canções pouco conhecidas como "Before They Make Me Run" (de Some Girls) e "I'm Going Down" (música que originalmente foi sobra das sessões que resultaram no Let It Bleed, de 1969, e que teve John Mayer e Gary Clark Jr. como convidados na ocasião), foi tocado de forma brilhante pelos músicos, bastante entrosados.

A turnê mostrou que a banda voltou mais "crua" no seu som, com a bateria ágil do discreto Charlie Watts dando o ritmo às canções, junto com o vigoroso diálogo das guitarras de Keith Richards, por sinal aniversariante de hoje, e Ronnie Wood, mais a incrível jovialidade de Mick Jagger e sua natural desenvoltura no palco e seu excelente vocal.

Atualizados tecnicamente, os dois guitarristas usaram guitarras sem fio, o que os permitia ficarem soltos no palco - embora Keith tenha preferido ficar posicionado entre Charlie e o baixista Darryl Jones, músico acompanhante que também se mostra bastante familiar com o som da banda. E Keith havia cantado duas músicas, "Before They Make Me Run" e "Happy" (esta de Exile On Main Street, considerado pela crítica o melhor disco da banda).

Até mesmo a cantora pop Lady Gaga, geralmente vinculada a um pop dançante mais convencional, conseguiu se adequar ao astral da banda, dando conta do recado no dueto com Mick em "Gimme Shelter", mantendo a energia que nos remete ao final dos anos 60.

O grupo também tocou duas novas músicas, "Doom and Gloom" e "One More Shot", ambas incluídas na coletânea Grrrr!, lançada recentemente. A apresentação que encerrou a turnê não teve a participação de Bill Wyman, mas ele já participou de duas apresentações em Londres, fazendo as pazes com os ex-parceiros.

E os demais convidados, o guitarrista Mick Taylor - que havia substituído Brian Jones entre 1969 e 1974, antes de passar o posto a Ron Wood - , que tocou com os ex-colegas em "Midnight Rambler" (de Let It Bleed) e Bruce Springteeen, que tocou e cantou junto ao grupo em "Tumbling Dice" (de Exile On Main Street).

Ainda houve um coral, com muitas gatas estonteantes, fazendo o acompanhamento em "You Can't Always Get What You Want" (também de Let It Bleed), numa surpresa dada ao público no bis, depois que a banda fez que se retirou.

O grupo ainda tocou "Satisfaction", o maior sucesso do grupo, de 1965, consagrando a longevidade artística do grupo que havia feito mistério antes de iniciar esta turnê, para depois presentear os fãs com a excelente excursão com os músicos em plena forma e bastante inspirados.

Portanto, foi uma grande lição de rock'n'roll para as gerações mais recentes que não conseguem compreender bem o que é realmente esse estilo. Tomados de gororobas recentes misturando posers e emos com grunge e nu metal, para não dizer aqueles que creditam como "rock" misturebas que incluem reggae, tecno e hip hop, as gerações mais recentes não sabem o que realmente é um clássico do rock.

E os Rolling Stones estão aí para isso. E já se fala que eles poderão tocar no festival Coachella. Nada está confirmado ainda, mas em todo caso vamos desejar longa vida para a banda, agradecidos pelos excelentes músicos e suas grandes canções. Valeu, rapazes!!

Nenhum comentário: