sexta-feira, 24 de agosto de 2012

A VISITA DE BEAKMAN À UNICAMP


Um programa que eu vi muito nos anos 90 e no começo da década passada foi O Mundo de Beakman (Beakman's World), programa da televisão norte-americana que no Brasil era transmitido em rede a partir da TV Cultura de São Paulo.

Era um programa excelente, uma comédia que no entanto tinha fins educativos bastante sérios. Afinal, era uma forma bem humorada de ensinar ciência para principiantes, sem pedantismo e até com orientações sensatas.

Sempre havia, por exemplo, uma recomendação para a criançada não tentar imitar certas experiências apresentadas no programa, por serem elas arriscadas, ou então que peçam para os pais experimentarem por elas.

Beakman é um personagem do ator Paul Zaloom, que ontem visitou a Unicamp, em Campinas, para falar de sua carreira e mostrar algumas experiências. Ele ficou impressionado e comovido ao saber que era bastante popular entre os jovens brasileiros e que vários jovens começaram a se interessar por assuntos científicos a partir do divertido programa.

Transmitido no país de origem pelos canais TLC e CBS, Beakman's World era baseado numa revista em quadrinhos, You Can With Beakman and Jax, de Jox Church, e mostrava um cenário iluminado e colorido que simulava um laboratório em que Beakman era assistido por um rato gigante e uma voluntária, que com ele apresentaram as experiências.

Ao longo do programa, que durou de 1992 a 1997, Paul Zaloom fazia, além de Beakman, o papel de vários cientistas famosos, que de forma humorística diziam seus relatos e apresentavam experiências. O rato era interpretado por Mark Ritts, que faleceu em 2009.

As assistentes de Beakman, por sua vez, variavam por temporada, mas a primeira delas é uma atriz relativamente bastante famosa, Alanna Ubach, de Denise Está Chamando, filme que teve alguma boa divulgação por aqui. Já sua sucessora, Eliza Schneider, é uma atriz de teatro e pesquisadora linguística, e havia feito participações na dublagem original de South Park. Já a última assistente, a gracinha Senta Moses, havia participado quando criança no filme Os Irmãos Cara de Pau (The Blues Brothers), e nos filmes Esqueceram de Mim 1 e 2.

Na sua visita à Unicamp - uma segunda visita ocorrerá hoje à tarde - , Zaloom fez várias perguntas, contou piadas e tentou fazer uma experiência de equilibrar dois garfos em um palito de dente. A experiência falhou, o que não deixa de ser educativo e proveitoso, uma vez que, em toda experiência científica, são difíceis os acertos logo na primeira tentativa, e mesmo as maiores descobertas científicas surgem depois de tantos fracassos.

A trilha sonora de O Mundo de Beakman é bem no espírito nerd - leia-se Vingança dos Nerds, nada de "cervejão-ão-ão", judões, Se Beber Não Case ou coisa parecida - , com os inconfundíveis arranjos de teclado do líder do Devo, Mark Mothersbaugh, responsável pela trilha e autor do tema do seriado.

Foi muito legal eu e meu irmão vermos esse seriado. De certo não nos tornamos cientistas com isso. Mas o bom é que O Mundo de Beakman conseguiu ser ao mesmo tempo um programa divertido e educativo. Taí uma das sugestões para se fazer uma televisão educativa, interessante e instrutiva, simples e instigante.

Pena que a TV Cultura está mergulhada num comercialismo ranzinza que só se salva em poucos programas (que já contavam com a natural competência dos envolvidos), mas que no conjunto da obra pouco estão preocupados em trazer cultura de verdade para os cidadãos.

Nenhum comentário: