quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

MULHERES INTERESSANTES ESTÃO CADA VEZ MAIS DIFÍCEIS



COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Infelizmente, a péssima educação machista, num país em crises de valores, desnorteou muitas meninas que passaram a adotar referenciais cafonas, pretensamente "modernos", para se acharem as tais. E se acham despretensiosas, avançadas, emancipadas, com essas personalidades tolas e submissas à velha mídia. Pode isso?

Porre é aguentar essas mulheres que só querem saber de ir a apresentações de "sertanejos" e "pagodeiros" da moda, e ainda acham que podem conquistar homens recatados e caseiros.

Mulheres interessantes estão cada vez mais difíceis

Por Marcos Niemeyer - Blogue Cacarejadas & Alfinetadas

>> Jamais me iludi com essas mulheres moderninhas do tipo que usam piercing, tatuagens berrantes ou cabelos exageradamente pintados de amarelo (falsas loiras), ouvem axé, pagode, funk e breganejo em alto volume no celular de última geração - olha que elas jamais conseguem aprender o funcionamento de todas aquelas teclas - além de outras atitudes desnecessárias para chamar atenção dos machos.

E o que falar sobre as saradonas musculosas com aspecto de “patricinhas” ou periguetchys irresponsáveis?

- Ah! Você ta velho, parou no tempo, não acompanha as tendências, diriam algumas inconformadas com a reação deste aprendiz de escriba.

Minha tréplica garante que apesar da idade, 55, não estou velho e nem tampouco parei no tempo. Pra começar, ninguém fala que nasci em l957. Todos, principalmente mulheres, acreditam que eu tenha no máximo uns 43 anos, por exemplo.

Há poucos dias resolvi tirar a prova dos nove. Conversava com uma conhecida na faixa dos trinta. O papo rolava numa boa, quando resolvi perguntá-la: - Que idade aparento ter?

- Você é jovem ainda. Deve ter no máximo 38...

Não sei se falou para agradar-me ou se foi com "sinceridade". - Claro que exagerou na dose, pensei. Mas como eu vociferava no início desta conversa, não se trata de preconceito ou algo parecido diante do que vejo na imagem das mulheres de hoje.

Em qualquer esquina da vida é possível encontrá-las aos montes. Algumas, ávidas por sexo a preço de banana. As ninfomaníacas atacam até por telepatia. Fêmea de verdade, porém, está cada vez difícil. Aquelas interessantes já estão comprometidas ou são necessariamente discretas.

Tenho conversado com amigos sobre o tema e a maioria não discorda que a mulher quanto mais natural, melhor. Em contrapartida, a dama verdadeira jamais aceitaria aquele tipo de homem com as orelhas cheias de brincos (charme ou boiolagem?), trocentos piercings espalhados pelo corpo ou com a calça caída mostrando a metade da cueca.

Beberrões, fumantes inveterados, brigões, imaturos, dependentes, mentirosos e preguiçosos também não contam ponto para aquelas que se prezam. Não resta dúvida que quem vê cara, não enxerga o coração. Mas a primeira imagem é sempre a que fica. E uma imagem vale por mil palavras.

O curso da história pode ser mudado, conforme as circunstâncias. Existe, porém uma velha máxima que não costuma falhar: “Pau que nasce torto, morre torto.”

Nenhum comentário: