sexta-feira, 18 de novembro de 2011

O DIVÓRCIO DE DEMI MOORE E ASHTON KUTCHER



Relações movidas pelo amor são livres e de tal forma que, em certos casos, se dissolvem com mais facilidade do que outros, movidos pela conveniência, que mais parecem contratos longevos de muitos anos, principalmente se o marido for um empresário ou um profissional liberal.

Embora Demi Moore seja uma mulher estonteante, belíssima e de uma beleza sensualíssima, a separação dela do ator Ashton Kutcher, no momento em Two and a Half Men (Dois Homens e Meio) mais pede uma reflexão do que uma comemoração.

Afinal, Ashton é um ator admirável, de um grande talento, e, apesar da comédia ser seu carro-chefe, ele havia atuado de forma excelente no filme de ficção científica The Butterfly Effect (Efeito Borboleta).

Lançado pelo seriado That 70's Show, que teve também a deliciosa Mila Kunis, ele havia feito par romântico com várias outras atrizes, como Zoe Saldaña, Cameron Diaz, Natalie Portman e até a saudosíssima Brittany Murphy, sua "esposa" no filme Just Married (Recém-Casados), de 2002. Brittany, por sinal, havia sido namorada dele na vida real.

Outra namorada que ele teve também foi a atriz de American Pie 2 e do seriado Mad Men, January Jones, que, apesar de ter um filho recém-nascido, atualmente está solteiríssima.

Ashton esteve casado com Demi desde 2005. E Demi havia passado por outros dois casamentos, o primeiro com o pouco conhecido músico Freddie Moore (de onde vem o sobrenome artístico da atriz) e o segundo, mais longo, com Bruce Willis, com três filhas, entre elas a atriz Rumer Willis. Bruce já tem outra esposa, mas é muito amigo da ex-mulher, e chegou a dar uma bronca em Ashton quando soube que ele havia traído Demi.

Nos últimos meses Ashton e Demi estavam se desentendendo. Ela chegou até a deixar de segui-lo no Twitter, cuja conta de Ashton é conhecida pelo maior número de seguidores. E eu, obviamente, sou um deles, na minha conta do presente blogue O Kylocyclo.

A relação, antes marcada por uma surpreendente jovialidade e cumplicidade, havia caído na rotina e Ashton, diante das novas e grandes oportunidades de atuação, acabou vendo na vida de casado um fardo, e parecia ver em novas relações amorosas uma grande novidade.

Evidentemente, o fim do casamento de Demi Moore e Ashton Kutcher causa o mesmo impacto que o fim do R. E. M.. E mostra o quanto relações espontâneas são livres até na hora de se acabarem.

Por outro lado, isso nos põe a pensar o que é que faz com que o casamento de Salma Hayek com o sisudo e feio empresário François-Henry Pinaut continue firme. Talvez seja porque o prazo de tal consórcio ainda não se expirou.

Nenhum comentário: