quarta-feira, 21 de setembro de 2011

LUMA COSTA VAI SE CASAR. E AS "BOAZUDAS"?



A bela e graciosa atriz Luma Costa, a Nanda da novela da TV Globo Fina Estampa, está noiva de um empresário com o qual se casará em 2012, conforme anunciou a imprensa recentemente.

Isso mostra o contraste que é o Brasil fictício e "caliente" de romances cucarachas que até recenseadores tentam reafirmar e a realidade nua e crua que o país vive.

Afinal, se um homem quer ter a mulher que realmente gosta, tem que montar uma empresa ou um escritório de advocacia ou então ser executivo de um banco.

É até constrangedor que certos machistas não-assumidos acreditem que mulher é que nem capim e que não é preciso ter afinidade de gostos, hábitos ou ideias para um homem se unir com uma mulher. Se acham tão "livres de preconceito" mas criam preconceitos mais cruéis ainda sobre o direito de escolha dos homens.

E aí, enquanto Luma Costa anuncia seu futuro casamento, as chamadas "boazudas" - das paniquetes às mulheres-frutas propriamente ditas, passando por ex-BBBs e ex-dançarinas de pagodão - , salvo exceções, continuam "solteiríssimas", evidentemente sem qualquer convicção.

É até irônico que o ator Carlos Machado, do mesmo núcleo de Luma Costa no enredo da novela, tenha se "envolvido" com a ex-dançarina do É O Tchan, Karen Loren, alguns dias atrás. Mas, a não ser que Machado seja o Fernando Scherer da vez, aparentemente nada foi além disso.

A sobra, muitas vezes forçada pelas circunstâncias, de solteiras com péssimos referenciais culturais, em contraste com outras com alguma relevância, mínima que seja, que ficam facilmente comprometidas, mostra o quanto o Brasil é um país dotado de estranhezas que fizeram, um dia, o saudoso Sérgio Porto investir no Febeapá.

Afinal, as "solteiríssimas" ligadas ao entretenimento popularesco, seja como fãs, seja como celebridades, não carecem de pretendentes. Eles existem, e são muitos. Mas elas, talvez por falsa modéstia, talvez pela ilusão de escolherem demais, ficam esperando que cidadãos como eu e você (no caso de ser leitor masculino) as levem para o altar, o que é impossível, porque elas nada têm a ver com o universo cultural que acreditamos.

Os reacionários que se irritam quando dissemos que não apreciamos tais "musas" e fazem contra nós acusações indevidas é que deveriam ficar com elas. As "boazudas" não são tão inacessíveis assim, vide o "encalhe" muitas vezes forçado pela "carreira". Elas é que fazem chilique quando seus pretendentes aparecem. E, se eles forem empresários ou advogados, pior ainda.

Semana passada Carla Vilhena, a bela jornalista da Globo, se casou com um advogado. Enquanto isso, quando humildemente falamos que uma Solange Gomes ou Nana Gouveia da vida poderiam se casar sem problema com advogados ou empresários, a turma reacionária de mini-Bolsonaros e equivalentes mirins do José Serra se irritam e dizem mil desaforos e ameaças.

Fazer o quê, né?

Nenhum comentário: