sexta-feira, 22 de julho de 2011

NITEROIENSES SÃO INGRATOS COM O SOL DA TARDE



É com pesar que se vê a escassez de pessoas no calçadão de Icaraí, em tardes ensolaradas de sábado e domingo.

Tem gente até que vem de Maricá e São Gonçalo para passear, nas tardes de sábado, no calçadão de Icaraí, mas seus próprios moradores não aproveitam devidamente essa grandiosa oportunidade.

O movimento de pessoas existe, mas enquanto se vê pessoas em bares e botequins readquirindo em dobro ou triplo a gordura física que perderam na caminhada, num entretenimento sedentário e pedante - às custas de bate-papos com assuntos supérfluos - , vemos um movimento nos calçadões da praia niteroiense que é bem modesto, se comparado com a desenvoltura que acontece no período da manhã.

Mas nem a desculpa do sol faz sentido para afastar as pessoas. Em primeiro lugar, porque há uns bons trechos com sombras de árvores, e existem medidas de proteção e hidratação da pele, como o uso de cremes protetores, a ingestão constante de águas e sucos e o uso de bonés.

No inverno, então, o sol fica mais ameno, e daria para haver um movimento maior de pessoas. Isso se muitos não preferissem perder tempo com a programação superficial e imbecilizante da TV aberta, ou as inúteis tardes alcoólicas nos bares.

Num pequeno bar da Rua Miguel Couto, no Jardim Icaraí, pessoas perdem o tempo bebendo, em pé, suas bebidas alcoólicas, quando poderiam estar no calçadão da praia, caminhando. Desperdiçam uma boa chance de ver a linda paisagem do entorno, e não se fala só da vista do Rio de Janeiro, mas também da de Jurujuba e de Boa Viagem, incluindo o belo Museu de Arte Contemporânea, surgido da imaginação generosa de Oscar Niemeyer.

Dá até uma certa tristeza. Não bastasse a movimentação do Campo de São Bento ficar comprometida com o fechamento de seu comércio de barracas à tarde - tudo bem que esse comércio fechasse, mas não seria melhor, por exemplo, que os pipoqueiros e o quiosque de pastel passarem a vender também empadas, bolos e pastéis de forno? A alma do negócio requer tais medidas - , a Praia de Icaraí nas tardes de sábados, domingos e feriados só perdem, em falta de movimento, para o calçadão da Boca do Rio em Salvador, nas manhãs dos dias úteis.

É uma grande ingratidão com a Natureza, a recusa de contemplar uma bela paisagem. Se fechar em casa, vendo um programa que é o mais do mesmo, com criancinhas calouras cantando as mesmas músicas, os mesmos atores se santificando nas telas, os mesmos jogadores de futebol em campo, as mesmas fofocas do mundo das celebridades, os mesmos enlatados sem graça dos EUA e muito mal dublados.

Andar por Icaraí é de graça, não precisa de muito sacrifício. Quem está com sede pode ir, do lado do Canto do Rio, ir para o Supermercado Prezunic (Rua Moreira César, esquina com Av. Ari Parreiras) para tomar água no bebedouro. Para quem está na Praia João Caetano, há o Supermercado Pão de Açúcar, também com seu bebedouro. Mas até mesmo uma água mineral ou suco não são coisas muito caras para se comprar.

Sair de casa nas tardes de sábado e domingo pode trazer muito mais benefícios, como a economia de energia elétrica - as contas, sem dúvida alguma, farão muita diferença - e a oportunidade das pessoas se conhecerem, já que ficar em casa vendo TV ou confinados em bares tomando álcool não permite que as pessoas tenham um contato realmente humano e sincero.

Espera-se que mais pessoas se empenhem em ir passar uma tarde na Praia de Icaraí e Praia João Caetano. Para agradecer a Deus pela bela paisagem da natureza e pela realização urbana da inteligência dos homens. E até para provar que uma boa tarde também pode ser um bom dia.

Nenhum comentário: