quinta-feira, 30 de junho de 2011

PESCADORES FICARAM À DERIVA DURANTE 22 DIAS



Seis tripulantes do barco Wiltamar III, que saiu de Cabo Frio e sofreu um naufrágio no litoral de Santa Catarina, depois de bater num navio após ser empurrado por uma onda, tiveram que ficar 22 dias à deriva, com o estoque de alimentos se esgotando nos primeiros 12 dias e eles sendo obrigados a matar suas sedes bebendo a própria urina.

Não houve esforço da Marinha e nem mesmo a imprensa se empenhou muito na busca dos desaparecidos. Foi preciso um navio mercante para resgatá-los. Todos foram socorridos com vida, mas já estavam enfraquecidos. No resgate, no cais da Praça 15, no Rio de Janeiro, os pescadores tiveram que estar envoltos por cobertores para evitar hipotermia.

Comparemos esse episódio ao acidente que vitimou amigos do governador fluminense Sérgio Cabral Filho e empreiteiros baianos. Que diferença faz. Infelizmente, quem é pobre sofre mais na vida, como os pobres mas corajosos pescadores de Cabo Frio.

Nenhum comentário: