quarta-feira, 6 de abril de 2011

DIRIGENTE FUNQUEIRO É COLUNISTA DE JORNAL DAS ORGANIZAÇÕES GLOBO



Um conhecido dirigente do "funk carioca" decidiu fazer jogo duplo e, escrevendo para um periódico da imprensa esquerdista, agora é também colunista do jornal Expresso, concorrente das Organizações Globo para o jornal-jagunço Meia Hora.

O que mostra o quanto o "funk carioca" faz jogo duplo. Primeiro, tenta aliciar a opinião pública de esquerda, para vender a falsa imagem de "movimento social" (que, no fundo, não passa de conversa para boi dormir).

Depois, quando conseguiu o que queria, os barões do "funk carioca" recorrem à mídia golpista, coisa que toma de surpresa a esquerda festiva, mas não surpreende pessoas experientes como Emir Sader, Venício A. de Lima e José Arbex Jr., que nunca confiaram no estilo.

Até porque, se lermos com atenção os textos de Venício Artur de Lima, concluiremos que o "funk carioca" é um dos filhotes da propriedade cruzada dos meios de comunicação. Não passa de uma dance music metida a "canção de protesto".

3 comentários:

soulegal disse...

Qual é o nome desse funkeiro que trabalha no jornal "Expresso"?

A. F. disse...

Você deve ter ideia de quem seja. Mas prefiro não facilitar os defensores dele na busca do Google. Ele tem nome de ídolo breganejo.

soulegal disse...

Já sei: aquele "xará" do sobrevivente daquela dupla cujo primeiro morreu com um tumor raríssimo!