quarta-feira, 23 de março de 2011

MORREU A ATRIZ ELIZABETH TAYLOR



COMENTÁRIO DESTE BLOG: Uma das atrizes mais famosas de todos os tempos, conhecida por sua beleza e pelos inúmeros casamentos, a inglesa Elizabeth Taylor, faleceu na manhã de hoje nos EUA.

Atriz Elizabeth Taylor morre aos 79 anos em Los Angeles

Do Terra Notícias

A atriz Elizabeth Taylor morreu vítima de insuficiência cardíaca aos 79 anos nesta quarta-feira (23) em Los Angeles, informou a imprensa internacional como ABC News e CNN.

Ela estava internada no hospital Cedars-Sinai Medical Center há dois meses.

Elizabeth Rosemond Taylor nasceu em 1932, em Londres, Inglaterra. Conhecida como Liz Taylor, iniciou a carreira artística aos dez anos, logo depois de se mudar para os Estados Unidos.

Liz participou de filmes infanto-juvenis e descobriu o amor pelos estúdios de filmagem, de onde não quis mais sair. Evoluindo como atriz talentosa e respeitada pela crítica, nos anos 50 filmou dramas, como Um lugar ao Sol, com o ator Montgomery Clift; Assim Caminha a Humanidade, com Rock Hudson. Nessa década fez ainda A Última Vez Que Vi Paris, ao lado de Van Johnson e Donna Reed.

Elizabeth foi reverenciada como uma das mulheres mais bonitas de todos os tempos. Sua marca registrada sempre foram os traços delicados e os olhos cor azul-violeta, que encantaram gerações.

A atriz também ficou famosa pelos inúmeros casamentos (oito ao todo), sendo o mais conhecido com o ator inglês Richard Burton, com quem se casou duas vezes e fez duplas em vários filmes nos anos 60, como o antológico Cleópatra e o dramático Quem tem medo de Virgínia Woolf?, em que ela ganhou o segundo Oscar. O primeiro prêmio veio em 1960 por O Número do Amor. Nessa época, Liz sagrou-se a atriz mais bem paga do mundo.

Em 1985, com a morte de seu grande amigo, o ator homossexual Rock Hudson, Elizabeth Taylor iniciou uma cruzada em favor dos portadores de aids. Em 2004, a diva passou vários meses de cama devido aos efeitos de uma grave escoliose, uma fratura na espinha, falência cardíaca congestiva, úlceras, além de episódios de bronquite aguda e pnemonia.

Em 1997, a atriz passou por uma delicada cirurgia para remover um tumor do cérebro. No passado, a estrela também já teve problemas com o vício em álcool e drogas.

Confira a filmografia:
Searching for Debra Winger (2002)
Get Bruce (1999)
The Flintstones - O Filme (1994)
Common Threads: Stories from the Quilt (1989)
Michael Jackson: The Legend Continues (1988)
Moonwalker (1988)
Genocide (1982)
A Little Night Music (1978)
Ana dos Mil Dias (1969)
A Megera Domada (1967)
O Pecado de Todos Nós (1967)
Os Farsantes (1967)
Quem Tem Medo de Virginia Woolf? (1966)
Adeus às Ilusões (1965)
Cleópatra (1963)
Gente Muito Importante (1963)
Disque Butterfield 8 (1960)
De Repente no Último Verão (1959)
Gata em Teto de Zinco Quente (1958)
A Árvore da Vida (1957)
Assim Caminha a Humanidade (1956)
A Última Vez que Vi Paris (1954)
No Caminho dos Elefantes (1954)
O Belo Brummel (1954)
Ivanhoé - O Vingador do Rei (1952)
Quo Vadis (1951)
Um Lugar ao Sol (1951)
O Pai da Noiva (1950)
Quatro Destinos (1949)
Príncipe Encantado (1948)
As Delícias da Vida (1947)
Nossa Vida com Papai (1947)
A Mocidade é Assim Mesmo (1944)
Evocação (1944)
Jane Eyre (1944)
A Força do Coração (1943)

3 comentários:

Marcelo Delfino disse...

Mitos são insubstituíveis. E Elizabeth é um deles.

Confesso que só lembro de ter visto um filme com Elizabeth Taylor: o filme dos Flinstones de 1994. A atriz fez um papel de coadjuvante: a mãe da Vilma, portanto a sogra megera de Fred Flinstone. Até em papéis pequenos como esse Elizabeth era capaz de mostrar todo seu talento e técnica.

A. F. disse...

O falecimento dela causa o maior impacto depois de Paul Newman, por se tratarem de grandes celebridades e notáveis atores, que se tornaram referências para muitas gerações.

Curiosamente, os mais jovens conhecem Liz Taylor também como amiga do também falecido Michael Jackson.

MPierre disse...

O mínimo que as emissoras deveriam fazer é exibir os filmes contracenadas por ela. No entanto, com a fúria da audiência, é complicado: preferem exibir esses filmecos modernos.

Com essa questão de contrato de exclusividade com emissoras e distribuidoras, a coisa fica diluída: no caso dos filmes da MGM (leia-se Warner), dependeria da boa vontade do SS e, no caso dos filmes da FOX (produziu "Cleópatra"), depende da Globo e detalhe: com certeza, seria picotado por causa da duração do filme.