sexta-feira, 24 de setembro de 2010

NA BUSOLOGIA DIREITISTA, HÁ MAIS GENTE!!





A busologia de direita ainda mostra mais políticos comprometidos com o projeto tecnocrático de transporte coletivo, sempre agindo contra os interesses do povo e mais favoráveis aos interesses de grupos empresariais mais poderosos (embora tentem provar o contrário).

CÉSAR MAIA - Tentou a uniformização visual dos ônibus, no início dos anos 90. Foi comunista há muito, muito tempo, mas hoje está bem situado na direita e ainda tem filho mais reacionário ainda, Rodrigo Maia. Mas ambos são demotucanos de carteirinha do mesmo jeito.

LUIZ PAULO CONDE - Ligado a César Maia, ele tentou um projeto de "curitibanização" dos ônibus cariocas em 1998, o "Rio Bus", planejado pelos tecnocratas do COPPE da UFRJ. O projeto era tão antipopular - acabaria, por exemplo, com as linhas de ligação Zona Norte e Zona Sul, obrigando uma baldeação que não traria conforto para os passageiros, apesar da passagem única em várias delas - que os técnicos do COPPE foram chamados de INCOPPETENTES. O projeto não saiu do papel, mas os tecnocratas ainda reclamaram, arrogantes, achando que o projeto "era perfeito".

CIRO GOMES - Tucano enrustido, apesar de estar filiado ao PSB, é tão "esquerdista" quanto o Fernando Gabeira de hoje. Ou seja, seu espírito direitista não consegue enganar sequer os politicamente mais desavisados. Implantou o regime tecnocrático nos ônibus de Fortaleza, incluindo uniformização visual.

Ah, mas o pessoal busólogo nem deve saber, mas sabe quem é que também está no lado deles, tendo defendido a tecnocracia busóloga e a uniformização visual dos ônibus?

JOSÉ SERRA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

VERUSKA DONATO



E aí, Priscila Pires, vai encarar fazer uma reportagem dessas, sobre a Bienal de Arte Moderna, e sem pronunciar as enjoadíssimas palavras "galera" e "balada" que são mais ao gosto das patricinhas que só vivem mascando chiclete de bola?

Veruska Donato é uma das gatas mais quentes do telejornalismo. Sei que trabalha na Rede Globo, mas ela demonstra ser inteligente e bacana para adotar uma postura independente, mesmo numa mídia conservadora. Além disso, ela é extremamente bela, mulher de todos os sonhos.

JORNALISTAS DE DIREITA MANEIRAM NO SEU TRABALHO



Da mesma forma que certos animais selvagens, em alguns momentos, parecem quase tão dóceis quanto animais domésticos, certos figurões da grande mídia às vezes até parecem admiráveis em raros momentos em que não compactuam com o establishment da política e do entretenimento do PiG.

Arnaldo Jabor, o mau humorado cronista da mídia golpista, volta aos seus bons tempos de cineasta com o filme A Suprema Felicidade, lançado esta semana, com um elenco que vai desde Jaime Matarazzo (o jovem fantasma da novela Escrito Nas Estrelas, que termina hoje) até Marco Nanini. Pela sinopse do filme, deve ser um trabalho delicioso, e há quem diga que o filme é uma espécie de equivalente de Jabor ao Amarcord de Federico Fellini. Enfim, o cineasta Arnaldo Jabor se sobressai ao decadente colunista de comentários ranzinzas que ele se tornou hoje.

Pedro Alexandre Sanches, que, apesar de publicar coluna em Caros Amigos, é cria da Folha de São Paulo, também deu folga na sua propaganda ao brega-popularesco, seja pelos comentários exaltados sobre o tecnobrega, seja no desejo de ver os astros da mídia gorda Fábio Jr., Calcinha Preta e Parangolé "reconhecidos artisticamente" pela MPB, Na coluna Paçoca deste mês, Sanches escreve sobre o que ele realmente entende, de música moderna urbana brasileira, e, embora o título "Música para Crianças" pareça assustador, felizmente não há citações de Xuxa e derivados, e Sanches apenas fala de Pato Fu e da MPB para crianças (Saltimbancos e Arca de Noé). Pelo menos aqui o jornalista não apela pelo pretensiosismo de bancar o juiz da cultura da periferia.

Enfim, às vezes a calmaria atinge até mesmo as bancadas da mídia grande.

PADRONIZAÇÃO VISUAL DOS ÔNIBUS: PROJETO VINCULADO À DIREITA POLÍTICA


A DIREITA BOTA FARDA NOS ÔNIBUS - Indo para a direita, acima e abaixo, Jaime Lerner (PR), Olavo Setúbal (SP), Francelino Pereira (MG), Marcos Medrado (BA), José Roberto Arruda (DF) e Eduardo Paes (RJ).

Historicamente, a padronização visual dos ônibus e todo um conjunto de medidas que envolve diminuição de frotas de ônibus em circulação, sistema de pool, consórcios e outros paliativos, está sempre associada a contextos políticos de direita, voltados aos interesses conservadores e contrários à vontade do povo.

Sabemos que o transporte coletivo de Curitiba, tão tido como "moderno" e "futurista", foi adotado durante o auge da ditadura militar, em 1974, implantado pelo prefeito "biônico" Jaime Lerner, filiado pela ARENA.

Mas de um modo ou de outro, a implantação dessas medidas, dentro de uma suposta racionalidade relativa ao transporte coletivo, sempre se relaciona com grupos políticos conservadores, tradicionalmente vinculados à direita, por mais que Jaime Lerner e o ex-secretário de transporte de Salvador, Marcos Medrado, se escondam, com cínico oportunismo, em partidos de centro-esquerda.

Aqui vamos listar os figurões das fotos mostradas no topo deste tópico:

JAIME LERNER - Considerado o maior tecnocrata do transporte coletivo, hoje trabalha como consultor. Pioneiro na adoção de medidas paliativas, com uma modernidade de fachada, que adaptam o sistema de ônibus a conceitos e procedimentos neoliberais. Virou símbolo de uma mentalidade falsamente progressista relacionada ao transporte coletivo, defendendo um modelo tecnocrático que, na teoria, soa perfeito, mas que já começa a mostrar seu dramático desgaste já na sua cidade de origem, Curitiba, capital do Paraná, onde o projeto de Lerner foi implantado em 1974. Historicamente filiado à ARENA, Lerner tentou uma passagem no PDT, depois voltou à direita pelo DEM e hoje está no PSB, partido que hoje mais parece um engodo ideológico situado entre o PMDB e o PPS.

OLAVO SETÚBAL - Banqueiro dono do Itaú, falecido há dois anos, Setúbal foi historicamente ligado à ARENA e ao hoje demotucano Paulo Egydio Martins, ex-governador de São Paulo, político conservador paulista que conseguiu desviar a União Nacional dos Estudantes para a direita, em 1951. Egydio, que também foi ministro da ditadura militar, o indicou para ser prefeito da capital paulista. No cargo, Setúbal implantou o padrão atual de transporte coletivo de São Paulo, baseado na uniformização visual, nos consórcios e no método tecnocrático de gerenciamento do sistema pelo Estado, com investimentos da iniciativa privada.

FRANCELINO PEREIRA - Ligado à ARENA e hoje no DEM, ele foi governador de Minas Gerais quando surgiu o Metrobel (atual BHTrans), que adotou a metodologia tecnocrática do transporte coletivo da Grande Belo Horizonte, nos anos 80.

MARCOS MEDRADO - Um dos afilhados políticos de Antônio Carlos Magalhães, Marcos Medrado é uma das figuras do conservadorismo político de Salvador, Bahia. Figura da direita política brasileira,foi presidente regional do PDC, mantendo-se no cargo depois da fusão do partido com o PDS malufista, virando PPB (atual PP). Como secretário de Transportes de Antônio Imbassahy (então também ligado ao carlismo baiano), Marcos Medrado reimplantou o esquema de pool nos ônibus (que tinha sido dissolvido pela prefeita Lídice da Mata, na gestão anterior), fortaleceu a corrupta medida das "frotas reguladoras", diminuiu as frotas em circulação, agrupou empresas em consórcios e bagunçou a distribuição de linhas nos bairros, sem critérios definidos de área. Além disso, permitiu a "padronização" de visual branco-básico da maioria das empresas de ônibus. Marcos Medrado está filiado ao PDT porque seu grupo político de dissidentes carlistas migrou para o partido, quando o atual prefeito João Henrique, ainda na sua primeira gestão e hoje no PMDB, estava então filiado.

JOSÉ ROBERTO ARRUDA - Quando assumiu o governo do Distrito Federal, José Roberto Arruda retomou a uniformização visual dos ônibus, que começava a ser dissolvida por algumas empresas de Brasília. Então filiado ao DEM, José Roberto Arruda, que é ligado a Joaquim Roriz, tradicional figura da direita política brasiliense, espécie de versão candango de Paulo Maluf, foi personagem de destaque no noticiário nacional por conta do esquema de corrupção montado por ele e que se tornou conhecido como "mensalão do DEM". O escândalo custou seu cargo político. Arruda chegou a ser preso, mas foi beneficiado pelo habeas corpus que garante a impunidade dos ricos e poderosos.

EDUARDO PAES - Afilhado político de César Maia - ex-comunista há muito integrado à direita política carioca - , Eduardo Paes integra a ala ultraconservadora do PMDB. Como subprefeito da Barra da Tijuca, realizou medidas anti-populares, sempre a favor dos interesses das classes mais ricas. Passou por outros partidos e sua candidatura à prefeitura do Rio de Janeiro, seu atual cargo, teve o apoio de vários políticos do DEM, apesar do rompimento com seu padrinho político. Estabeleceu, recentemente, conchavos com dirigentes olímpicos, fazendo o lobby para que o Rio de Janeiro, mesmo sem condições reais de realização, fosse escolhido sede das Olimpíadas de 2016. Recentemente, Eduardo Paes decidiu implantar outras medidas impopulares, como o fechamento de um longo trecho da Av. Rio Branco (claramente de acordo com os interesses das classes ricas e conservadoras), que pode provocar violentos engarrafamentos na cidade, e a padronização visual do sistema de ônibus carioca, que irá confundir os passageiros, principalmente nas classes populares. Seu atual padrinho, Sérgio Cabral, tem afinidades na postura conservadora e anti-popular.