domingo, 4 de julho de 2010

NÃO PRECISA FICAR EM PÂNICO



Esqueça o Pânico na TV. Veja o SOS Emergência. Dê um SOS para o excelente seriado escrito por Marcius Melhem e que conta com um excelente elenco.

Vamos salvar esse programa. E, para chamar a atenção de você, mostramos aqui uma foto da atriz que faz a assistente social "sem graça" (?!), Fernanda de Freitas, essa superbeldade que aqui aparece num biquíni bem sensual.

Pois se os "comediantes" realmente sem graça do Pânico - sobretudo o (des) animado Emílio Surita - tentam alavancar o programa com suas "gostosas", as tais Panicats, mostramos Fernanda de Freitas com toda a beleza e formosura que Deus lhe deu.

Consta-se que Fernandinha tem namorado, mas se ela por ventura terminar a relação, eu me ofereço para namorar essa supergracinha totalmente deslumbrante.

VITÓRIA DA COPA TEM QUE SER PARA PAÍSES RICOS


Milton Temer defendeu recentemente que a copa da África do Sul deste ano mereça ser ganha por um país africano ou sul-americano, e que quem discordasse disso era um alienado.

Sou esquerdista, mas tenho que discordar do candidato do PSOL ao Senado Federal. A copa deveria ser ganha por um país europeu, no caso a Alemanha, que demonstrou ter um time forte e habilidoso.

Não sou alienado, e sei que a tese de que o futebol é a "única alegria" de um povo sofrido é discutível. Afinal, a festa futebolista gasta dinheiro e só beneficia diretamente quem está ligado ao evento esportivo de alguma forma: jogadores, equipe técnica, imprensa esportiva, dirigentes esportivos, empresas patrocinadoras.

Existe uma lição dos mais velhos que recomenda que primeiro tem que se arrumar a casa para depois fazer a festa. As seleções brasileira, argentina e uruguaia já ganharam copas do mundo e nem por isso tornaram-se países prósperos.

O Brasil é uma potência emergente, mas ainda não é um país desenvolvido e está muito longe de ser uma sociedade evoluída como a Noruega. Se nem os Estados Unidos chegam aos pés da Noruega em termos de desenvolvimento humano, quanto mais o Brasil.

Copa do mundo não traz prosperidade. Traz uma alegria momentânea. Infeliz da pessoa que achar que essa é a única alegria do povo. Acaba expondo sua baixa auto-estima. A situação do Brasil é próspera para se fazer lutas sociais, reivindicar qualidade de vida, lutar pela transferência da população favelada para prédios decentes, sejam apartamentos e prédios ociosos, sejam novos conjuntos habitacionais.

Se as pessoas acreditarem que o patriotismo se associa à ideia de torcer pela seleção brasileira de futebol, então elas é que estão alienadas. O patriotismo se manifesta com o verdadeiro amor ao país, que por sua vez só se efetiva quando a pessoa se preocupa e age em favor da justiça social.

Os países ricos já têm prosperidade social suficiente para bancarem toda a festa das vitórias em torneios mundiais de futebol.

Sejamos objetivos.

DO JEITO QUE OS MACHISTAS GOSTAM


Corpo, corpo, corpo. Noitadas, noitadas, noitadas. É isso que as boazudas pensam. E só. Não é preconceito não - até porque essa expressão está gasta e a ninguém convence mais - , mas francamente eu nunca me relacionaria com essas moças que aparecem neste arquivo de imagem.

É patético saber que musas assim investem na vulgaridade e até na falta de sutileza em mostrar suas formas físicas, indiferentes à sua falta de habilidade para lidar com o desejo masculino, a não ser o dos machistas, que certamente são os únicos a adorarem esse tipo de mulher.

Certa vez, uma reacionária escreveu uma mensagem - que deletei - dizendo que eu fui preconceituoso dizendo que a Mulher Melão ficou grávida de um cara bronco. Ela é funqueira, vai para noitadas, se envolve com cara malhado, mesmo. Nada de se envolver com nerd que fica em casa comendo biscoitos nas noites dos fins de semana e ainda vive com os pais.

Quem essa reacionária queria que eu escrevesse, que a Mulher Melão ficou grávida do Espírito Santo, mas que a gravidez não deu certo porque não foi a hora de chegar o "messias" da nação funqueira? Assuma a realidade, pombas!

Na boa, elas não fazem o meu tipo. Prefiro mulheres inteligentes, classudas, de personalidade forte e discretas, ainda que sejam menos exuberantes.

E nem farei falta alguma para essas boazudas. Elas são estranhas e por isso vetadas pelo meu desejo amoroso. Favor não insistir.