sexta-feira, 21 de maio de 2010

CRIAÇÃO DE GENOMA SINTÉTICO PREOCUPA CIENTISTAS


O cientista Craig Venter, que comanda a equipe que descobriu a célula artificialmente modificada.

A comunidade científica está preocupada com uma das mais controversas revoluções da ciência, a descoberta do genoma sintético que permitirá a produção de vida artificial de organismos e seres.

A equipe liderada pelo cientista Craig Venter, dos EUA, conseguiu substituir três dados genéticos naturais de uma célula por outros criados em laboratório. Isso pode revolucionar a ciência para o bem e para o mal, e o que preocupa é o uso tendencioso dessa conquista, a exemplo da produção dos clones de animais, que pode causar malefícios. Assim como a clonagem pode se tornar uma arma imprevisível na produção de clones humanos, o genoma artificial, que, usado beneficamente, pode produzir remédios e combustíveis e ajudar até a despoluir o ambiente, se usado de forma maléfica pode produzir armas químicas.

É um assunto polêmico que renderá muitas discussões no mundo científico.

KRISTEN BELL MOROU ALGUNS MESES NO BRASIL


Numa entrevista à revista Megazine, caderno para adolescentes de O Globo, a maravilhosa atriz Kristen Bell, um dos melhores sinônimos de perfeição feminina e notável pela sua carinha linda de fada Sininho, contou que em 2000 passou três meses no Brasil, trabalhando para um projeto de voluntariado da Universidade de Nova York.

Ela viveu um tempo em Belo Horizonte cozinhando e cuidando de crianças num orfanato da cidade. Em Fortaleza, ela trabalhou como assistente de médicos norte-americanos.

Quem diria que essa belíssima, graciosa, sexy, escultural, supersimpática e tudo, tudo, tudo Kristen Bell ficou um tempo no Brasil, pouco antes de se tornar famosa a partir do seriado Veronica Mars. Uau!

TEXTO ALTERADO DO PROJETO "FICHA LIMPA" CAUSA PROBLEMAS



Uma alteração feita pelo senador Francisco Dornelles (PP-RJ) cria problemas para o projeto da lei da ficha limpa. A substituição da expressão "que já foram condenados" por outra, "que forem condenados", faz com que o projeto, segundo especialistas, só torne inelegíveis os políticos condenados por crimes depois da promulgação da lei.

Isso enfraquece a relevância da lei, que resultou de um movimento popular contra a corrupção política no país. O Senado Federal havia aprovado ontem, por unanimidade, a lei que já se tornou conhecida também como lei de inelegibilidade. A Câmara também aprovou, antes, a lei.

No entanto, o Tribunal Superior Eleitoral irá avaliar o texto da lei, e, se decidir por desfazer a alteração, a lei voltará para a Câmara dos Deputados para uma nova votação.

ESTABLISHMENT BREGA-POPULARESCO É A ARMA DO PiG PARA MANOBRAR O POVO


Alexandre Pires, Zezé Di Camargo, Ivete Sangalo, DJ Marlboro, Daniel, Belo e Bell Marques - Os medalhões da música neo-brega são a arma da mídia golpista para distrair e manipular o povo através da canastrice musical.

Enquanto certas tendências "polêmicas" da Música de Cabresto Brasileira tentam vender a imagem de "ritmos emergentes", como foi o caso do "funk carioca", da abordagem "revisionista" do brega dos anos 60-70, e como é o caso do tecnobrega, vendendo a falsa ideia de tendências que nunca fizeram sucesso na mídia, os reconhecidos medalhões da Música de Cabresto Brasileira, que não podem esconder seu sucesso comercial e sua situação privilegiada na grande mídia, tentam manter seu império midiático de outra forma.

São cantores de axé-music, breganejo, forró-brega e sambrega, junto a MC's e DJs de "funk carioca" (FAVELA BASS), que fazem rodízio no Domingão do Faustão e comandam os listões das FMs que lideram o Ibope em todo o país. São tutelados pela indústria fonográfica, e já tratados como uma verdadeira corte lúdica que acompanha os barões da grande mídia. os chefões da mídia demotucana que com gosto querem destruir a MPB e colocar no lugar a pseudo-MPB de ídolos da axé-music, do "pagode mauricinho", do breganejo. Queiram ou não queiram seus defensores, é essa a realidade.

Suas músicas de gosto bastante duvidoso, comerciais, tendenciosas e medíocres ao extremo, falsamente sofisticadas, superproduzidas ao extremo, são mais um espetáculo de pompa e luxo que serve para hipnotizar o grande público, que pensa estar apreciando a "verdadeira cultura popular" brasileira. Não está, pois leva gato por lebre, com essa pseudo-MPB dos ídolos neo-bregas e sua mitologia dotada de luxo, pieguice e demagogia.

E como a mídia é golpista, golpistas são os fãs - ou será que eles mesmos são fãs, no sentido verdadeiro do termo, ou "fãs" no sentido miliciano da palavra? - desses ídolos que não toleram críticas, sequer as positivas, desses ídolos.

Mal sabem esses TALIFÃS que, mesmo atuando pela mais ardente defesa a seus ídolos, que são eles que costumam bagunçar ainda mais a festa. Queimam suas reputações, e mal conseguem esconder que agem a favor da mídia, e não independente dela.

ÍDOLOS POPULARESCOS SÃO OS NOVOS MAGNATAS DA MÚSICA

Mas o pior mesmo está nos barões da grande mídia, temerosos de que a verdadeira música popular - onde a música está acima de qualquer marketing e de qualquer superprodução pomposa - volte à memória do povo pobre.

Os medalhões do brega-popularesco são os novos magnatas. Quem pensa que os magnatas da música se chamam Francis Hime, Edu Lobo, Turíbio Santos, Toninho Horta, Fátima Guedes, Joyce, Guinga e acima de tudo Chico Buarque, está completamente enganado. Ricos, mesmo, verdadeiramente magnatas, são Alexandre Pires, Ivete Sangalo, Bell Marques, DJ Marlboro, Belo, Exaltasamba, Chitãozinho & Xororó e outros. Até Tati Quebra-Barraco, não fosse o fato dela ter torrado todo o dinheiro com lipos, plástica e outras extravagâncias, estava para se tornar uma magnata do brega-popularesco, mas depois da farra teve que virar evangélica e se candidatar a cargo político.

Além disso, esses ídolos "verdadeiramente populares", lotadores de plateias, são também financiados por grandes empresários, fazendeiros e políticos conservadores. A mídia dominante investe neles com muito gosto, e eles aparecem na revista Caras como magnatas triunfantes, só parecendo pobres para os parâmetros de um Eike Batista. No entanto, os ídolos do brega-popularesco já são muito mais ricos do que os supostos "burgueses" da música brasileira, ou seja, os Francis Hime e Fátima Guedes que a mídia despreza completamente.

Por isso, esses medalhões são defendidos, jogados em sucessivos festivais e, como esses ídolos medíocres sofrem hoje o processo acelerado de esgotamento, investem em sucessivos CDs e DVDs ao vivo, em covers, duetos, e na aparição, em rodízio, no Domingão do Faustão, deixando claro que, apesar das "diferenças" estilísticas, breganejos, axézeiros e sambregas não passam de uma mesma "panelinha".

Se num domingo Fausto Silva recebe Alexandre Pires, noutro ele recebe o breganejo Daniel. Em seguida, recebe Ivete Sangalo e deixa Cláudia Leitte para o mês seguinte, enquanto, entre as duas, a produção do programa da Rede Globo insere ou Frank Aguiar, ou Exaltasamba, ou Calcinha Preta, ou Belo, Grupo Revelação, Mr. Catra, Leonardo, Michael Sullivan, Vítor & Léo, e por aí vai. Sempre eles, sempre os mesmos medalhões do brega-popularesco, se ostentando, presunçosos, no Olimpo da degradação cultural brasileira, obrigando-nos a aguentá-los por pelo menos 55 anos.

A não ser que reajamos e possamos críticar com mais força as manobras da mídia golpista também no âmbito cultural.