sexta-feira, 30 de abril de 2010

THE LA'S - CAIXA COMEMORA 20 ANOS DO ÚNICO LP



Um dos melhores álbuns de 1990 é praticamente desconhecido no Brasil. E surpreende por sua genialidade em todas as faixas. Trata-se de The LA's, álbum do grupo do mesmo nome, que depois de Beatles, Echo & The Bunnymen e outros grupos, fizeram a fama musical da cidade inglesa de Liverpool.

Talvez o grande pecado desse disco dos LA's seja ter sido lançado em 1990. No Reino Unido, tudo bem, porque as bandas geniais desse país eram bem populares nacionalmente, mas fora de seu território só conseguiam vingar no circuito alternativo dos EUA e olhe lá.

No Brasil, lamentavelmente, a mídia roqueira passou a se ocupar de bandas de funk metal (nada contra, mas, só isso?) ou então a endeusar as bandas de poser metal ou "metal farofa". O grande preconceito contra os ingleses fazia vários críticos e radialistas imaginarem que todas as bandas soavam como Stone Roses e Happy Mondays. Grande erro.

Por isso, talvez os LA's tivessem mais sorte se este LP tivesse sido lançado em 1967. Pois o astral do álbum é esse mesmo. É um álbum dos anos 60 lançado em 1990, porque vemos no disco influências de Beatles (é claro!), Rolling Stones, Byrds, Who, Beach Boys, enfim, a nata do rock sessentista dos dois países, EUA e Reino Unido. Tem elementos de mersey beat, folk rock e psicodelia.

E essas influências, como nas melhores bandas de garagem dos anos 60, não soam como mera cópia, mas como elementos que enriquecem a expressão artística. The LA's, seguramente, é até mais importante que, por exemplo, Nevermind do Nirvana que é até um bom álbum, mas nada revolucionário.

O disco dos LA's, sim, é revolucionário, não talvez por trazer um elemento inédito, afinal suas músicas são influenciadas pelos anos 60, mas pelo fato de trazer a beleza das melodias de volta, depois de um mainstream dos anos 80 sujeito à overdose de sintetizadores e dançarinos.


LEE MAVERS, O GENIAL CANTOR, GUITARRISTA E COMPOSITOR DOS LA'S.

Os LA's, por incrível que pareça, não tem seu nome relacionado com o vocalista e guitarrista Lee Mavers, que nem foi o líder original da banda. O grupo surgiu em 1983 por iniciativa de Mike Badger, outro guitarrista e vocalista, que decidiu pelo nome da banda por influência de um sonho. A banda, de fato, iniciou suas apresentações em 1984, quando Badger contava como parceiros Lee, o baixista John Power e um rodízio de bateristas.

As formações dos LA's mudaram tanto que é difícil creditá-las completamente aqui. Quem quiser, que consulte o texto sobre o grupo no Wikipedia. Sabe-se que em 1986 Mike Badger deixou os LA's e segue sua carreira até hoje, com outras bandas ou em trabalhos solo.

Ao longo dos anos 80, o grupo só lançou compactos. Daí a coletânea Callin' All (nome de uma das músicas do grupo) ser lançada, em comemoração aos 2o anos de The LA's, com NADA MENOS que 84 MÚSICAS. Uma caixa com quatro discos, para singles e B-sides, outro para versões raras em estúdio e outros dois com versões ao vivo.

Os LA's foram elogiados por Morrissey e até a revista Billboard - espécie de equivalente musical do FMI - teve que reconhecer a força do grupo inglês. Foram "jocosamente" citados em 1991 numa reportagem sobre o grupo de indie dance The Farm na extinta revista Melody Maker e, por comparação, numa propaganda do disco de estreia do grupo Real People. Farm e Real People, que tiveram discos lançados no Brasil, do contrário dos LA's, também são de Liverpool.

O único álbum oficial do grupo conta com apenas doze faixas. Apenas, não, porque se trata de uma dúzia de grandes canções. Quase todas elas são de 1990, porque "There She Goes", influenciada pelo som dos Byrds, é de um compacto original de 1988. Mas se "There She Goes" é a mesma versão de compacto, o mesmo não ocorre com "Way Out", música do primeiro compacto da banda, de 1987, que no LP foi regravada (ambas as versões, diferentes, acabam tendo, cada uma, uma beleza própria). O disco foi produzido por Steve Lillywhite, o super-produtor de U2, Big Country, Simple Minds e Morrissey, entre outros.

Não vamos aqui comentar faixa por faixa, porque você, caro leitor, terá que correr atrás do disco. É genial do começo ao fim. Também não vou botar vídeo anexo porque você, leitor, terá que correr atrás mesmo. No You Tube há vários arquivos com canções do grupo. Vale a pena ouvi-las.

O disco encerra com uma balada, "Looking Glass", que se influenciou pelos Beatles até nos recursos, já que num medley disfarçado, como em "All You Need is Love", cita várias outras canções dos LA's, e o final se acelera numa tensão que se encerra no fim da música, como em "A Day in The Life".

Os LA's se separaram pela primeira vez em 1992. Voltaram a excursionar em 1994 e 1995. Mas o baixista John Power acabou deixando o grupo, para se concentrar na banda Cast. Ele retornou brevemente para uma turnê em 2005, mas depois saiu definitivamente.

THE LA'S PARA INICIANTES

- A música "There She Goes" foi lançada no Brasil numa coletânea de rock internacional lançada pela Polygram (atual Universal Music) em 1991. Não me lembro que coletânea foi.

- A mesma música fez sucesso nas rádios pela regravação do grupo ex-gospel Sixpence None The Richer.

- A influência dos LA's se nota no penteado do guitarrista Noel Gallagher (idêntico ao de Lee Mavers) e no som de sua ex-banda Oasis. "Champanhe Supernova", por exemplo, tem uma leve influência de LA's.

- Algumas músicas dos LA's foram divulgadas no programa "Novas Tendências", de José Roberto Mahr. Numa promoção do programa, eu ganhei uma fita k7 do citado LP do grupo, no final de 1992. Ainda tenho esta fita, mas baixei o CD no EMule com algumas faixas bônus.