sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

SER NOAM CHOMSKY NÃO É FÁCIL


Ser um grande estudioso de Linguística, um eminente professor universitário do Massachusetts Institute of Tecnology, um intelectual de esquerda dos EUA e um cientista político por vocação, como é o mestre Noam Chomsky, não é fácil.

Sobretudo quando a mídia direitista classifica ele como "pseudo-esquerdista", "metido" e "analista político medíocre". Sobretudo quando a mídia estadunidense mais reacionária considera ele um "lunático". Sobretudo quando pseudo-esquerdistas bajulam ele sem ler um parágrafo sequer de suas obras.

E sobretudo quando ele é citado num antigo anúncio da TV Bandeirantes com Bóris Casoy e num comunicado recente de Osama Bin Laden.

E olha que Chomsky é um remanescente de uma linhagem de intelectuais que corre o risco de desaparecer.

CHARGE SUGERE QUE TRÁFICO CARIOCA VAI PARA A BAHIA



Charge do cartunista Carias, publicada no Jornal de Icaraí, de Niterói (RJ), edição deste mês

Desculpe a péssima ressolução, mas creio que minha máquina digital ainda não fotografa imagens no papel com nitidez.

Em todo caso, a charge mostra bandidos do Rio de Janeiro sendo expulsos das favelas ocupadas pela Unidade de Polícia Pacificadora. O carro dos bandidos se dirige justamente para a cidade de Salvador, Bahia, onde, de fato, alguns traficantes cariocas já começam a se instalar nas favelas e invasões. O carro tem dois bandidos na caçamba e outro bandido dirige o veículo armado de um revólver.

Na charge, um dos bandidos na caçamba pergunta a outro ao lado:

- Temos certeza que estamos indo para Niterói?

O outro responde:

- Claro! Não mandaram a gente atravessar a Baía?