sábado, 9 de janeiro de 2010

Bóris Casoy pode ter favorecido novela Caras e Bocas


O capítulo final da novela Caras e Bocas, da Rede Globo, registrou um índice de 41 pontos em São Paulo, considerado alto para o horário das "sete".

A novela foi um sucesso de audiência e registrou também audiência alta 41 em Belo Horizonte, com 43 pontos, e no Rio de Janeiro, com 37.

A audiência nos últimos capítulos teria sido favorecida pelo programa concorrente, o Jornal da Band (TV Bandeirantes), em virtude da repercussão negativa dos comentários do âncora Bóris Casoy contra dois lixeiros exibidos na edição do fim de 2009.

Ricardo Boechat fala em "erros" em mensagem da Band


Uma mensagem do jornalista da TV Bandeirantes, Ricardo Boechat, está em veiculação na emissora. É uma mensagem meio tardia de ano novo, mas o propósito por trás dessa mensagem é falar sobre a ideia do "erro", baseada no conceito de que todos erram na vida.

É até uma mensagem bonita e simpática, e Boechat aparece até vestindo camisa branca, não fosse o terrível contexto que está por trás, que é o interesse da TV Band (e, por conseguinte, a Rede Band News FM) em proteger Bóris Casoy, que havia repercutido mal com seus comentários contra a alegria de dois lixeiros mostrados no Jornal da Band.

O problema não está na mensagem de Boechat em si, que, repitamos, foi até simpática, mas pelo fato de que nada irá amenizar o erro de Casoy, que não foi uma coisinha tola, e ainda por cima foi proposital.

Aliás, o comentário de Casoy foi de fato uma vergonha.

CUIDADO COM A MÍDIA POPOZUDA


Continua valendo o alerta que dou a todos os blogueiros que criticam a mídia golpista. A chamada "mídia gorda", abertamente reacionária, foi para a berlinda. A "mídia fofa", no episódio não só dos lixeiros como dos operadores de áudio,vide a ameaça dos executivos da TV Band, também foi para a berlinda.

Por isso mesmo, é bom que os críticos da mídia não se comportem como os "líderes de opinião", se limitando a ver o aspecto político da coisa. Há muitas armadilhas e a "cultura" popularesca é uma das piores armadilhas feitas para o povo, na medida que se trata de uma pseudo-cultura popular, esquizofrênica (sob o pretexto da "diversidade" e dos valores "universais"), pseudo-democrática, emburrecedora e alienante. Pior: quem defende o popularesco ainda tem a cara-de-pau de escarnecer a ideia de alienação cultural, como se tudo aquilo que é por tais pessoas defendido não é "alienado".

Os "exércitos" de popozudas, de bregas "universitários", funqueiros, pagodeiros, axezeiros, "jornalismos mundo-cão", fazem horrores para promover o conformismo social e imbecilizar a desprotegida população pobre. Não podemos sorrir diante desse universo, até porque em outros tempos víamos manifestações culturais do povo pobre de altíssimo nível, com o mínimo de decência possível.

Cabe agora verificarmos os males da "mídia popozuda", parte dela vestindo a capa da "mídia magra" enganando a verdadeira mídia alternativa. Amigos da Onça da cultura alternativa, da cultura popular e do folclore, empurrando glúteos siliconados das mulheres-frutas e similares, para o culto paternalista e etnocêntrico dos intelectuais.

Por isso, cabe ficarmos de olhos bem abertos.

Francamente, Band!!!!


FERNANDO MITRE, CHEFE DE JORNALISMO DA REDE BANDEIRANTES, CUJA CÚPULA PREFERE PROTEGER BÓRIS CASOY DO QUE PUNI-LO

Francamente!! A Bandeirantes, antes símbolo máximo da "mídia cidadã", tão endeusada e tão adorada, parecendo inabalável no seu pedestal, enquanto suas colegas do Olimpo midiático, Folha e CBN, sofreram quedas violentas de sua reputação.

Francamente!! A Bandeirantes, antes símbolo máximo da "mídia heróica", levando um tombo violento desses, e não é pelo comentário ofensivo de Bóris Casoy, que era apenas uma opinião pessoal não compartilhada por seus colegas da casa (apesar dos risinhos consentidos de Milena Machado).

Isso porque a Bandeirantes, tão aparentemente zelosa pelo "cidadão", tão "revolucionária" no seu jornalismo, tão "defensora" da finalidade social, ameaçou demitir os dois operadores que deixaram vasar o comentário grosseiro de Casoy.

Ou seja, a Bandeirantes não atacou uma classe profissional, mas atacou outra. Bóris Casoy atacou a classe dos lixeiros. A cúpula da Band atacou a classe dos operadores de microfone.

Por isso é que a mídia anda tão fora de confiança. Até as "rádios all news estão com audiência baixíssima. Porque a "cidadania" que a mídia tanto defende não é defendida para sua própria classe.