quinta-feira, 25 de novembro de 2010

REVISTA VEJA HAVIA ADERIDO AO TECNOBREGA



Ninguém percebeu, mas a famigerada edição de Veja, do dia 13 de outubro de 2010, que mostrava na capa Dilma Rousseff em declarações supostamente contraditórias, mostrava um fato contundente: Veja ADERIU de vez ao tecnobrega.

Pronto. Toda a mídia golpista aderiu ao ritmo paraense da Música de Cabresto Brasileira, já que esperava-se que a mais conservadora delas, a revista Veja, aderisse. E aderiu.

Não há mais desculpa de que o tecnobrega "não tem espaço na grande mídia". TODA, repetindo, TODA a grande mídia aderiu ao ritmo paraense.

Quem leu com atenção a referida edição de Veja - quase todos os blogueiros progressistas correram para ler a edição, para questionar a capa - percebe que, na seção relacionada às frases e entrevistas com celebridades, a entrevistada em questão foi a cantora Gaby Amarantos, que meses atrás havia sido capa da revista Fórum, na boa-fé de sua equipe editorial.

O tecnobrega apareceu nos programas da Rede Globo, na Folha de São Paulo, na revista Contigo, no Estadão, etc, e só faltou a revista Veja para a velha grande mídia, sem que viva alma se dê conta, dar o maior apoio ao tecnobrega.

E, para quem fica dizendo o tempo todo, até hoje, que o tecnobrega "segue sem espaço na grande mídia" - há lunáticos que ainda pensam que o "funk carioca" nunca teve espaço na mídia - , desde o começo do seu sucesso a grande mídia dá espaço ao ritmo. O jornal paraense O Liberal, ícone da mídia golpista paraense, fez um texto exaltando o ritmo, bem antes da revista Fórum aderir ao jabaculê.

Nenhum comentário: