domingo, 10 de outubro de 2010

TECNOBREGA É CARTAZ NO JORNAL O GLOBO



O Partido da Imprensa Golpista aderiu de vez ao tecnobrega.

Mas ainda são muitos os trouxas que pensam que o tecnobrega está fora da mídia.

Desta vez, o Segundo Caderno de O Globo jogou na primeira página uma reportagem sobre o tecnobrega.

O Globo é O Globo.

A primeira menina dos olhos do "doutor" Roberto Marinho.

A reportagem é feita por um dos dois jornalistas do Rio Fanzine, Carlos Albuquerque, o Calbuque.

Mas, depois que Tom Leão saiu elogiando a Infra Rádio Tupi, espera-se de tudo da dupla.

As alegações são sempre as mesmas publicadas na revista Fórum e Le Monde Diplomatique Brasil.

Dizem que o tecnobrega está fora da mídia. Mentira.

Dizem que o tecnobrega é a cultura do povo pobre. Mentira.

Dizem que o tecnobrega se difundiu pela mídia nanica. Mentira.

O tecnobrega está em alto cartaz na mais gorda da grande mídia.

Apareceu na Rede Globo, na Folha de São Paulo.

Até Nelson Motta, sócio do Instituto Millenium, deu altos elogios ao tecnobrega.

Que foi recebido pelo Fausto Silva e por Ana Maria Braga.

Sim, a Ana Maria Braga, sócia do Cansei, chamada pejorativamente de Ana Maria Brega.

Ela recebeu Gaby Amarantos, sabia, Pedro Alexandre Sanches e Ronaldo Lemos?

Mas daqui a pouco até Marcelo Madureira vai abraçar Gaby Amarantos e queremos ver como ficam certos "caros amigos" nessa.

Além do mais, quem está por trás do tecnobrega são elites riquíssimas chamadas "aparelhagens".

Que, para evitar desconfiança, vende seus produtos primeiro nos camelôs.

Mas vai ter coletânea de tecnobrega pela Som Livre.

Que é o braço fonográfico das Organizações Globo.

Que são a mais poderosa corporação da grande mídia do país.

Como é que o tecnobrega insiste em dizer que está fora da mídia?

Como é que o tecnobrega, que se acha tão pobrinho, investe pesado em tecnologia, luzes, computação, vestuário, marketing e tudo o mais?

Por que o tecnobrega é tão associado à mídia progressista se o jornal O Liberal, expressão do PiG em Belém do Pará, se apressou em louvar o estilo, com o mais entusiasmado dos entusiasmos?

Mas o tecnobrega foi rejeitado duramente por Lúcio Flávio Pinto, do Jornal Pessoal, militante da mídia nanica e solidarizado pelos blogueiros progressistas.

Sem falar que o tecnobrega é financiado pelos latifundiários do Pará e pelos políticos direitistas que controlam as FMs existentes na capital paraense.

Agora o tecnobrega está na primeira página do Segundo Caderno de O Globo.

Na última página, mas na mesma folha dupla, está o humor de Agamenon Mendes Pedreira.

Personagem que, em parte, é criação do infame Marcelo Madureira.

Amigo de Diogo Mainardi, sócio do Instituto Millenium, militante do PiG.

E Marcelo Madureira faz o escudeiro de Acarajette Lovve, o Waldeck do Curuzu.

E Acarajette Lovve um dia vai encarar Gaby Amarantos.

E lá estará o Marcelo Madureira junto.

Pobre do povo paraense, enganado por esse engodo apátrida e caricato chamado tecnobrega.

Que nada tem de criatividade, apenas é uma caricatura do popinho dançante feito pelo pior existente nos EUA.

E os caras nem ouviram falar de Oswald de Andrade, Pedro A. Sanches. Está sonhando?

O povo não pode mais ser explorado como um estereótipo ao sabor da mídia e dos barões do entretenimento.

O tecnobrega é 100% grande mídia. Sua filosofia é inspirada claramente no PiG.

Só os trouxas não conseguem reconhecer isso.

2 comentários:

Marcelo Delfino disse...

Os bons tempos do Segundo Caderno acabaram. Hoje em dia está tão baranga quanto o caderno O Dia D e seu concorrente global Canal Extra.

Depois ficam espantados diante da queda das vendas dos jornais em papel.

Lucas Rocha disse...

Acho que o tecnobrega já está superando o "funk carioca"...