sexta-feira, 29 de outubro de 2010

PUPILO DE OTÁVIO FRIAS FILHO CONTRA-ATACA


OTÁVIO FRIAS FILHO DEVE ESTAR ORGULHOSO - Pedro Alexandre Sanches segue direitinho as lições da Folha de São Paulo.

Mais uma vez, Pedro Alexandre Sanches, o menino de ouro de Otávio Frias Filho, parte para o ataque. E desta vez foi na Revista Fórum, da edição de outubro de 2010.

Escrevendo sobre o cantor Zeca Baleiro, Sanches mais uma vez misturou alhos com bugalhos na sua abordagem sobre cultura popular, sem distinguir os sucessos comerciais do brega-popularesco da Era Collor com os nomes que se empenharam em zelar pela Música Popular Brasileira autêntica.

Numa mesma lista, ele citou cantores do chamado "pagode mauricinho", ou sambrega - como Alexandre Pires e Leandro Lehart - , que, juntamente com os breganejos Chitãozinho & Xororó, Leandro & Leonardo e Zezé Di Camargo & Luciano, faziam a festa da mídia golpista apadrinhada por Sarney e ACM e depois por Fernando Collor de Mello, com outros nomes que depois vieram para tentar um primeiro basta na hegemonia brega-popularesca vigente até então.

Note o nível da besteira escrita por Sanches: "Artistas como Adriana Calcanhoto, Alexandre Pires, Carlinhos Brown, Cássia Eller, Chico César, Chico Science, Daniela Mercury, Eduardo BiD, Fred Zero Quatro, Ivete Sangalo, Leandro Lehart, Mano Brown, Marcelo D2, Marisa Monte, MV Bill, Netinho de Paula, Pato Fu, Pedro Luís, Rita Ribeiro, Seu Jorge e Zélia Duncan construíram a solidez de suas carreiras sobre os alicerces de sempre, ou pelo menos em suas franjas."

Uma lista de alhos com bregalhos - algo como fazer uma lista de militantes esquerdistas e incluir José Serra, ACM Neto, Jorge Bornhausen, Armínio Fraga, (banqueiro) Daniel Dantas, José Roberto Arruda, Naji Nahas, Yeda Crusius, (senadora) Kátia Abreu e outros. Assim não dá, Sanches!!

Não dá para botar num mesmo balaio da MPB dos anos 90 ícones da mediocridade do sambrega, axé-music etc. Sobretudo os sambregas, gente que apenas traduz em arranjos "sambistas" as influências de Waldick Soriano - compare "Depois do prazer" do Só Pra Contrariar com "Eu Não Sou Cachorro, Não", de Waldick Soriano, cujos primeiros versos têm andamento melódico parecido - , José Augusto e Fábio Jr., ou então de Enrique Iglesias e Bobby Brown.

Faz sentido colocarmos José Serra e Geraldo Alckmin entre os maiores militantes socialistas de autoridade? Nada a ver.

Nomes como Marisa Monte, Chico Science & Nação Zumbi, Pato Fu, Zélia Duncan e outros - como o próprio Zeca Baleiro, apesar dele andar muito condescendente com o brega ultimamente - se tornaram justamente a oposição dos sambregas, breganejos e axezeiros que animaram o espetáculo lúdico da Era Collor e da Era FHC

A MPB autêntica dos anos 90 representou sobretudo a retomada do fôlego cultural depois da cafonice da Era Collor.

Portanto, mais uma vez, Pedro Sanches errou feio, muito feio, mas fez a lição de casa encomendada pelo antigo patrão e para sempre seu mestre, Otávio Frias Filho. Realidade que em nenhum momento, até agora, foi desmentida, por mais que Pedro Sanches esteja de gaiato como colunista da Revista Fórum e Caros Amigos, já que ele desceu na imprensa esquerdista de pára-quedas.

Nenhum comentário: