sábado, 30 de outubro de 2010

CAETANO VELOSO DEIXOU PRÓ-BREGAS EM SAIA JUSTA



A adesão de Caetano Veloso ao tucanato e à mídia golpista dá uma sinalização para quem defende o brega-popularesco e faz parte, tendenciosamente ou de boa-fé, na esquerda ideológica.

Foi Caetano que inaugurou essa linhagem de pensamento, de que o brega-popularesco era uma suposta rebelião cultural do povo pobre, que a mediocridade cultural seria uma "rebeldia pós-moderna", algo como uma "revolta do mau gosto contra a ditadura do bom gosto" e outras teses que hoje vemos tanto em textos de Pedro Alexandre Sanches, Hermano Vianna, Rodrigo Faour, Ronaldo Lemos e outros, como em atitudes de gente como Patrícia Pillar, Nando Reis e outros mais.

De repente Caetano Veloso pulou fora, deixando a intelectualidade etnocêntrica órfã. Foi como a canária-mãe voasse para longe do ninho e deixasse seus filhotes abandonados, à própria sorte.

Conforme já comentamos, isso pode causar problemas, uma vez que a intelectualidade está sem seu líder, e por isso sua posição "progressista" na defesa do brega-popularesco, que já era contraditória e equivocada, poderá perder o seu sentido sem seu "mestre" pioneiro.

Um comentário:

Marcos Vinicius Gomes disse...

O brega é prepotente, arrogante, ruim que não percebe sua ruindade, manipulador, estratificador social, etc. Mas devo confessar que passarei um tempo no purgatório emepebedístico, pois tenho certa simpatia por Odair...(mas não por causa do Caetano, diga-se de passagem).