terça-feira, 14 de setembro de 2010

"REDES SOCIAIS" NÃO CRIAM GRANDES SUCESSOS NACIONAIS



Essa vai para os editores e jornalistas da imprensa esquerdista, que andaram espalhando que o sucesso das tendências brega-popularescas se dá tão somente pelas chamadas redes sociais da Internet.

Pois a cantora Stefhany, por vezes Stefhany Cross Fox ou Stefhany Absoluta, ícone do forró-brega mais recente, andou sendo alardeada por "fazer muito sucesso através do YouTube". YouTube, sabemos, é uma das chamadas redes sociais da Internet.

O grande equívoco dessa suposta façanha - na verdade, o sucesso da garota, ainda emergente, se deu mesmo com o aval da imprensa popularesca, pela TV aberta e pelas emissoras FM - é que o apresentador Sílvio Santos, um dos símbolos da televisão populista dos dias de hoje, afirmou não conhecer a garota e nem sequer o que é YouTube.

Portanto, o sucesso da garota é emergente, ainda, como todo ídolo popularesco iniciante. Mas, se tão somente as "redes sociais" influíssem mesmo no sucesso desses ídolos, sem dúvida alguma a fama deles chegaria a gente como Sílvio Santos.

Portanto, ponto negativo para a imprensa esquerdista que acha que o sucesso da "música popular(esca)" se deve única ou decisivamente pelas "redes sociais".

Na boa, Ronaldo Lemos deveria comer o papel do seu próprio livro sobre tecnobrega. E chame Pedro Alexandre Sanches e companhia para almoçarem ou jantarem outros exemplares.

2 comentários:

Marcos Vinicius Gomes disse...

Sei não...utilizar SS como parâmetro de popularidade de um artista não parece ser um critério que carregue credibilidade. Alguns artista sobrevivem devido à net, tal como Teatro Mágico e os 'geniais' Móveis coloniais de Acaju.

O Kylocyclo disse...

Bom, fala-se em sucesso comercial, que é o caso do brega-popularesco. O tecnobrega vai nesse esquema, através das rádios FM paraenses e da TV aberta em geral.