sexta-feira, 24 de setembro de 2010

JORNALISTAS DE DIREITA MANEIRAM NO SEU TRABALHO



Da mesma forma que certos animais selvagens, em alguns momentos, parecem quase tão dóceis quanto animais domésticos, certos figurões da grande mídia às vezes até parecem admiráveis em raros momentos em que não compactuam com o establishment da política e do entretenimento do PiG.

Arnaldo Jabor, o mau humorado cronista da mídia golpista, volta aos seus bons tempos de cineasta com o filme A Suprema Felicidade, lançado esta semana, com um elenco que vai desde Jaime Matarazzo (o jovem fantasma da novela Escrito Nas Estrelas, que termina hoje) até Marco Nanini. Pela sinopse do filme, deve ser um trabalho delicioso, e há quem diga que o filme é uma espécie de equivalente de Jabor ao Amarcord de Federico Fellini. Enfim, o cineasta Arnaldo Jabor se sobressai ao decadente colunista de comentários ranzinzas que ele se tornou hoje.

Pedro Alexandre Sanches, que, apesar de publicar coluna em Caros Amigos, é cria da Folha de São Paulo, também deu folga na sua propaganda ao brega-popularesco, seja pelos comentários exaltados sobre o tecnobrega, seja no desejo de ver os astros da mídia gorda Fábio Jr., Calcinha Preta e Parangolé "reconhecidos artisticamente" pela MPB, Na coluna Paçoca deste mês, Sanches escreve sobre o que ele realmente entende, de música moderna urbana brasileira, e, embora o título "Música para Crianças" pareça assustador, felizmente não há citações de Xuxa e derivados, e Sanches apenas fala de Pato Fu e da MPB para crianças (Saltimbancos e Arca de Noé). Pelo menos aqui o jornalista não apela pelo pretensiosismo de bancar o juiz da cultura da periferia.

Enfim, às vezes a calmaria atinge até mesmo as bancadas da mídia grande.

2 comentários:

Marcelo Delfino disse...

De vez em quando, até o amigo Alexandre pára de fazer patrulhamento ideológico dos direitistas. Normalmente o amigo insinua que só prestam os artistas de esquerda.

Se fosse assim, não poderiamos gostar nem de Paula Toller, praticamente uma tucana de carteirinha.

O Kylocyclo disse...

Não é isso, Marcelo. Sei que muita gente admirável está na direita. Ferreira Gullar, por exemplo, tem história, como até mesmo o Fernando Gabeira têm.

Eu vejo o Casseta & Planeta e reconheço que eles ainda têm talento para fazer piadas, embora em outros tempos fossem mais inspirados (e sem os surtos de mau-humor de um Marcelo Madureira, por exemplo).

Eu não sou assim tão patrulheiro quanto pareço à primeira vista, apenas critico posturas. Se fosse patrulheiro, estaria pedindo para todos boicotarem fulano ou sicrano, o que nunca fiz nem vou fazer.