quinta-feira, 9 de setembro de 2010

JN NO AR EM VOO "CULTURAL"



- Alô, Ernesto Paglia? É Ali Kamel, do jornalismo da Globo!

- Tô ouvindo!

- Vocês encontraram algum novo cenário de forró-brega, tecnomelody, "rebolation" ou qualquer coisa parecida?

- Sim, achamos. Mas precisa cobrir tudo isso até no Jornal Nacional?

- Não. É para você avisar depois ao Faustão para ele divulgar depois!

- É, mas tem que passar primeiro pelos críticos musicais e etnólogos sem envolvimento direto com a gente. Hermano Vianna tem uns amigos escrevendo para a mídia esquerdista...

- É, sei, Paglia. Tem um na Caros Amigos, indicado por alguém que também foi da Folha. O cara nem está à vontade lá, e faz o nosso trabalho.

- Pois será que essa visão de cultura popular que a Globo trabalha vai continuar convencendo? O pessoal começa a estranhar as coisas. Já tem gente sentindo o gosto amargo da paçoca...

- Calma. Nossos produtores têm tráfico de influência fora da zona de colaboração com a Globo, Folha, Veja e similares. Aí o cara escreve um monte de bobagem intelectualóide e aí até quem é intelectual acredita.

- É mesmo. A maioria dos brasileiros não sabe ler por incapacidade, mas tem gente que não sabe ler por preguiça ou por falta de paciência para ler.

- O Paulo César Araújo, sabe, Paglia, ele publicou um monte de mentira. Transformou Waldick Soriano num Lamarca e o pessoal caiu que nem patinho. E depois uma estrela da Globo completou o trabalho com um documentário sentimental sobre ele.

- É, Kamel, tem gente que confunde tietagem com trabalho científico. Hoje já não se faz mais propaganda daquele cantor, daquele conjunto. O cara escreve um monte de bobagem intelectual, mistura mulher-fruta com escultura dadaísta, aí o povo acredita, e a crítica aplaude.

- Então, você tem que verificar a cena musical da cidade. Se um fazendeiro local inventar um grupo de forró-calcinha, me avisa que eu telefono para a produção do Multishow e eles lançam primeiro o grupo com um discurso pós-moderno. Tem gente que nem desconfia que o Multishow é da Globo, há quem pense que é TV educativa...

- Tudo bem, Kamel. Quando eu encontrar esse conjunto, eu lhe falo. Mas o Faustão já não começou a divulgar um grupo chamado Garota Safada? Se eu jogar uns dez grupos, não vai ter mercado que comporte.

- É mesmo. Além do mais, você tem que saber se o grupo publicou vídeo no YouTube. Sabe como é, qualquer idiota lança vídeo no YouTube e pensa que é vanguarda. Tudo bem. Vamos esperar. José Serra anda muito encrencado ultimamente e são os demotucanos os mais certeiros para investir na música popular (sic) que faz sucesso no nosso páis. Vamos esperar outubro e novembro para ver se podemos vasculhar mais grupos de forró-calcinha e similares.

- Certo, Kamel. Então vou fazendo o meu trabalho. Ah, diz para Sandra que eu estou bem e que só vou ligar para ela hoje de noite, tudo bem?

- Está certo, Paglia. Boa viagem.

- Abração.

Nenhum comentário: