domingo, 29 de agosto de 2010

RABINO DECLARA ÓDIO MORTAL A PALESTINOS



Num comentário tipicamente fascista, o rabino Ovadia Yosef, de 89 anos, líder espiritual do partido religioso israelense Shas, disse que os palestinos e seus líderes políticos deveriam morrer. A declaração foi feita num sermão bastante violento que Ovadia fez pouco antes das negociações de acordo de paz entre o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o líder palestino Mahmoud Abbas.

Segundo Ovadia, Deus deveria enviar uma praga contra os palestinos e eliminá-los. O líder espiritual do Shas deu outras declarações semelhantes, sobretudo dizendo que era proibido sentir piedade dos palestinos. Foi uma vez, em 2001. A repercussão negativa fez Ovadia dizer que se referia apenas a "terroristas".

Mas as declarações dadas por ele são suficientes para aumentar o ódio aos palestinos, que tanto castigam os inocentes que nada têm a ver com os conflitos que acontecem no Oriente Médio. São pessoas sem ter onde morar, sem ter uma nação própria apesar de contar com seus próprios valores culturais, com suas crenças, rituais e costumes próprios. O que diz muito da crueldade da política israelense, apoiada pelo imperialismo dos EUA.

Nenhum comentário: