terça-feira, 3 de agosto de 2010

IRÃ USA PRETEXTOS MORAIS LOCAIS PARA MANTER CONDENAÇÃO DE VIÚVA



COMENTÁRIO DESTE BLOG: O presidente Lula ofereceu asilo político para a iraniana condenada a apedrejamento, mas o Ministério das Relações Exteriores do Irã apelou para explicações moralistas para manter a sentença contra a mulher, acusada de adultério.

Irã diz que Lula é emotivo e desconhece caso de condenada a apedrejamento

Presidente do Brasil ofereceu asilo político a mulher acusada de cometer adultério

Da Agência EFE - Reproduzido também no portal R7

Ramin Mehmanparast, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, disse nesta terça-feira (3) que o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, ofereceu asilo político a Sakineh Mohammadi, acusada de adultério e condenada ao apedrejamento, porque "desconhece seu caso".

O porta-voz da diplomacia iraniana fez a declaração durante a entrevista coletiva semanal realizada na sede do Ministério das Relações Exteriores, no sul de Teerã, capital do Irã.

- Pelo conhecimento que tenho do senhor Lula da Silva, sei que é uma pessoa humana e carinhosa, mas possivelmente não recebeu informações suficientes sobre o caso [de Sakineh Mohammadi].

O alto funcionário iraniano respondeu dessa forma a uma pergunta sobre a postura do Irã a respeito das recentes declarações de Lula sobre a disposição brasileira de dar asilo político a Sakineh.

- O que podemos fazer é colocar Lula a par do caso. O delito de Sakineh é óbvio, baseado em documentos.

Sakineh - que é natural do Azerbaijão, tem 43 anos e é mãe de dois filhos - foi acusada de adultério por um tribunal iraniano. A família e a própria acusada negam que ela tenha cometido qualquer crime.

A Justiça condenou Sakineh ao apedrejamento em 2007, mas a sentença ainda não foi aplicada, principalmente devido às pressões internacionais a è repercussão que o caso ganhou.

As autoridades judiciais do governo de Teerã, que também acusaram Sakineh pelo assassinato de seu marido, anunciaram em julho que a sentença não será aplicada por enquanto, mas acrescentaram que a condenação ainda vale.

No último sábado (31), Lula disse que o Brasil poderia abrigar Sakaneh se o governo do Irã permitisse o asilo.

- Apelo ao líder supremo do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, que permita ao Brasil conceder asilo a esta mulher.

Um dos principais aliados ocidentais do governo iraniano, Lula errou o cargo de Ahmadinejad, que é presidente. O líder supremo do Irã é o aiatolá Ali Khamenei, que exerce autoridade religiosa e legalmente dá a última palavra nos principais assuntos de Estado.

Nenhum comentário: