terça-feira, 20 de julho de 2010

O QUE UMA ABORDAGEM PRÓ-TECNOBREGA PODE SIGNIFICAR...



NO ALTO, A EQUIPE DO MANHATTAN CONNECTION (CANAL GNT), COM NELSON MOTTA E O FALECIDO PAULO FRANCIS; ACIMA, A ATUAL EQUIPE, SEM MOTTA, MAS COM DIOGO MAINARDI (DE CAMISA PÓLO).

É muito complicado a imprensa de esquerda ter as pregações pró-brega de Pedro Alexandre Sanches (ou qualquer outro similar), porque é uma visão de "cultura popular" mais próxima do padrão dos barões da grande mídia.

Eu escrevo isso e mandei até mensagem do Twitter para os microblogs da revista Fórum e Caros Amigos lá e ninguém quer ouvir. Todos estão surdos e cegos. "Não, não querooooo ouviiiiiiirrrrr, eeeeeeeeeuuu nããããããoooooo queeeeeeeeeeeroooooo...".

O problema é que, enquanto todos alegremente leem Pedro Alexandre Sanches falando de uma periferia estereotipada em Caros Amigos e Fórum, num claro contraste contra a realidade explosiva das crônicas políticas de esquerda, é que tudo que Pedro Sanches defende em seus artigos vai parar, sem escalas nem intermediários, na mesma mídia golpista hostilizada pela imprensa de esquerda.

E aí, de que adiantou Pedro Alexandre Sanches escrever tantas "maravilhas" sobre o tecnobrega se Nelson Motta comentou algo parecido no Jornal da Globo (comandado pelo mesmo William Waack já espinafrado por um colunista de Caros Amigos, Milton Severiano)?

Nelson Motta, apesar do passado de letrista e agitador cultural moderno, até hoje lembrado por "Como Uma Onda", musicado e cantado por Lulu Santos, no entanto está atualmente ligado ao Instituto Millenium e fez parte da primeira fase do programa Manhattan Connection do canal pago GNT.

E o que é o Manhattan Connection? Espécie de papo de botequim de luxo, de pessoas sonhando com Nova York, até válido, não fosse o conservadorismo reinante. Tinha até o Paulo Francis, reacionário, mas de uma inteligência fina e até admirável.

Mas hoje o Manhattan Connection tem até o Diogo Mainardi, o chamado pit-bull de Veja. Mal-humorado, pedante, reacionário até a medula.

O que uma abordagem pró-tecnobrega na revista Fórum pode causar. Pouco tempo depois, o tecnobrega, tão alardeado como "fora da mídia", entrou pelas portas da frente das Organizações Globo, que estendeu tapete vermelho aos neo-cafonas do Pará. E pintou até no Jornal da Globo, de William Waack espinafrado por Caros Amigos, em resenha de Nelson Motta que foi do Manhattan Connection do qual hoje faz parte Diogo Mainardi da infame revista Veja.

Sim, o bailão do tecnobrega agora acontece nos salões da grande mídia. Queiram ou não queiram os caros amigos.

Um comentário:

Lucas Rocha disse...

Será que, agora que o reacionaríssimo colunista da revista "Veja" Diogo Mainardi está no "Manhattan Connection" do GNT, o tecnobrega vai invadir o periódico vejista da Editora Abril?