quinta-feira, 15 de julho de 2010

MACHISMO LESA TAMBÉM HOMENS



O machismo não beneficia todos os homens. O machismo também serve para prejudicar certos homens, e não são poucos.

O machismo constrange os homens que dão preferência ao convívio mais constante com as mulheres.

Mas também constrange os homens que se recusam a namorar mulheres vulgares, por elas serem vazias e até fisicamente exageradas.

O machismo não contribui para a verdadeira dignidade do homem. Esse negócio de "defesa de honra" é balela. A verdadeira defesa da honra, de um ser humano, é respeitar a vontade dos outros, mesmo das mulheres que recusam o assédio de um homem.

Por isso, no Dia Internacional do Homem, quem merece comemorar a data são os homens dotados de humildade, dignidade e mansidão (palavra cujo radical coincide com a palavra "homem" em inglês, man), que respeitam as mulheres mas querem não uma guerra dos sexos, mas uma relação de companheirismo entre homens e mulheres.

Os machistas não merecem comemorar o dia. Principalmente os mais violentos, sobretudo contra as mulheres que eles esquecem de amar, mas que quando as perdem eles não se esquecem de odiar e cometer vinganças. Esses homens não merecem comemoração alguma, são uns covardes.

O masculinismo - ideologia criada pelo jornalista e intelectual socialista inglês Ernest Belford Bax (1854-1926) - tornou-se uma alternativa, para os homens, em relação ao decadente e falido machismo. E também tornou-se uma reação dos homens para os excessos e mesmo omissões das feministas. Isso porque o feminismo, em muitos casos, em vez de defender os méritos das mulheres, promovia o desequilíbrio entre elas e os homens, substituindo injustiças por outras.

É o masculinismo, por exemplo, que permite que os homens, sem regredir à antiga tirania, reclamem pelos seus direitos. Direitos de proteção social pelo Estado, de exercício de direitos sociais e até mesmo pelo direito de dizer não a um assédio de uma mulher que não lhe agrada. Porque os homens legais querem também mulheres legais.

O masculinismo é a filosofia dos homens legais, que querem apenas dignidade. Eles têm horror à tirania machista, à hipocrisia de machistas violentos que tentam ser amigos de não-machistas.

Os masculinistas fazem um ato bem mais enérgico do que todos os machistas unidos poderiam fazer. É o de romper com a masculinidade forçada e rancorosa do machismo, isolando os homens que só sabem resolver os problemas pela força, sem usar a razão e sem respeitar os direitos alheios.

Nenhum comentário: