quinta-feira, 29 de julho de 2010

HANS ZIMMER FAZ PARCERIA COM JOHNNY MARR NA TRILHA DE "A ORIGEM"


JOHNNY MARR - A "GALERA IRADA" QUE SÓ OUVIU ROCK ONTEM O DESPREZA.

O tecladista alemão Hans Zimmer, que tocou com os Buggles (da música "Video Killed The Radio Star") e Ultravox (de Midge Ure, co-autor de "Do They Know It's Christmas?" junto a Bob Geldof), é responsável pela trilha sonora do filme A Origem, de Christopher Nolan, estrelado por Leonardo di Caprio e Marion Cotillard.

A trilha alterna melodias eruditas e eletrônicas, que é o estilo de Zimmer, mas a novidade é que aqui o músico faz uma parceria com o guitarrista Johnny Marr. Para os mais jovens, Johnny Marr parece um músico "complicado" como outro qualquer, mas quem foi adolescente nos anos 80 pôde conferir seu trabalho como músico e compositor através de sua admirável trajetória no grupo inglês The Smiths. Eu mesmo sou fã assumido do grupo, marcado também pela poesia e pela voz de Morrissey, hoje em carreira solo.

Johnny Marr teve o infortúnio de ser guitarrista numa época em que o pop era marcado pelo sintetizador. E, como espetáculo, a música pop precisava menos de grandes canções do que de de coreografia, luzes e escândalos. Lá na Grã-Bretanha, ele tem sua reputação, pois até quem era criança nos anos 80 sabe bem mais dos Smiths do que seu similar brasileiro sabe da Legião Urbana. Mas, se no Brasil há quem não se interesse em saber quem é o Led Zeppelin, quanto mais os Smiths.

Pior disso tudo é que há o cacoete do jovem brasileiro de achar que rock dos anos 80 é o ridículo, patético, risível, incompetente e desprezível poser metal. Para o boyzinho médio que ouvia Xuxa e Trem da Alegria nos anos 80 e passou a ouvir rock (ou pelo menos, algo parecido com rock) a partir de 1995, certamente seu herói não seria Johnny Marr, mas Slash, Richie Sambora, o guitarrista do Motley Crue (que o boyzinho, tão tolo, desconhece ser o tal Mick Mars) e outros guitarristinhas de vaquejada que poderiam muito bem tocar com Zezé Di Camargo & Luciano.

Pena, porque Johnny Marr é um dos maiores guitarristas do mundo. Hans Zimmer afirmou que o talento do ex-Smiths é único. Quem ouve músicas como "The Queen is Dead" dos Smiths sabe da agilidade do grande músico inglês, capaz de acordes vigorosos, mas também de acordes melodiosos de alta sensibilidade, como por exemplo em outra dos Smiths, "Back To The Old House". Johnny também é inspirado pianista e excelente gaitista, além de ser brilhante até no bandolim ("Please Please Please Let Me Get What I Want"). E ainda dá conta do recado fazendo bases de teclado no Electronic, junto ao parceiro Bernard Sumner (Joy Division, New Order, Bad Lieutennant).

Ou seja, Johnny é um músico completo. A ponto de ser convidado por um músico e arranjador alemão conceituado. Só a "galera irada" do Brasilzinho medíocre de hoje não sabe, não quer saber e tem até raiva de quem sabe da trajetória de grandes figuras como a do genial guitarrista de compositor Johnny Marr.

Nenhum comentário: