quinta-feira, 10 de junho de 2010

NÃO FAZ SENTIDO CRITICAR A MPB E APOIAR A MÚSICA BREGA



Não faz o menor sentido que determinados intelectuais e jornalistas falem mal da MPB, acusando-a de "elitista", "distante do povo", "hermenêutica", "complicada demais", "criptografada" etc, se eles apoiam a música brega como "verdadeira cultura popular" e aplaudem quando ídolos neo-bregas se apropriam de clichês da fase pasteurizada da MPB (1979-1988).

Pois é esta mesma MPB pasteurizada, que esses críticos reprovam, que os medalhões da música brega e neo-brega, de Fábio Jr. aos atuais ídolos do sambrega, breganejo e axé-music, se inspiram para se passarem por "sofisticados".

Para esses críticos, Zizi Possi gravando uma canção romântica acompanhada só de piano, é um horror. Mas se a "ídala" da axé-music faz o mesmo, ele aplaude, com entusiasmo.

Se, para esses críticos, Guilherme Arantes grava músicas com sintetizadores falando sobre natureza, soa desastroso e constrangedor. Mas vai o cantor-ator breganejo fazer o mesmo, e esses críticos dão os elogios mais derramados.

Se o Fundo de Quintal grava um álbum que, feito às pressas, p0r pressões da gravadora, e por isso soa morno e burocrático, os críticos baixam a lenha, falam que o grupo "não é mais aquele". Mas se o grupo de "pagode mauricinho" faz um disco igual, os críticos logo dizem que este grupo "progrediu consideravelmente, chegando à maturidade artística".

Chico Buarque, coitado, sempre solidário com o povo, é visto como "elitista" por esses críticos. Para eles, "bom" mesmo é Michael Sullivan, que nunca foi além daquele modelo de "música de motel" que ele desenvolveu sob as bênçãos da Rede Globo.

E, enquanto Edu Lobo, Francis Hime e Carlinhos Lyra pagam caro pela sofisticação musical, sempre desejosos de que o grande público conheça música de qualidade e volte a brilhar com a sua, nomes como Fábio Jr., José Augusto, Alexandre Pires, Daniel, Leonardo, entre outros, confundem "sofisticação" com "pompa", em seus espetáculos superproduzidos e suas canções melosas e enjoadas.

Os reacionários aplaudem os bregas, pois é a mediocridade que gera fanatismo, no afã dos medíocres em conquistar mais vantagens com menos esforço e menos mérito. E pouco estão se lixando para os rumos que toma ou deixa de tomar a Música Popular Brasileira.

Para eles, que a cultura popular autêntica se dane. Eles preferem os lotadores de plateias que visitam o Fausto Silva na TV dos domingos. Eles querem é lucro, poder da mídia, poder do capital. E ainda têm a coragem de camuflar suas verdadeiras intenções.

Um comentário:

Pedro Oller disse...

Muito obrigado por colocar meu blog na sua lista! Agradecido!

E parabéns pelo seu, é muito bom.
Um abraço

Pedro.