terça-feira, 18 de maio de 2010

LONGA VIDA, MARK MOTHERSBAUGH!!



Nós, nerds, comemoramos os 60 anos de um de nossos conhecidos representantes, o vocalista do DEVO, Mark Mothersbaugh.

Se hoje nos lembramos dos 30 anos de ausência de um músico inglês, também não deixamos de comemorar a presença atuante de outro músico relacionado ao pós-punk, desta vez um músico dos EUA.

O Devo faz história. Surgido em Akron, Ohio, em 1973 - quando o responsável por este blog não passava de um menininho de dois anos residente no Barreto, em Niterói - , o grupo foi basicamente formado pelo vocalista, tecladista e ocasional guitarrista Mark Mothersbaugh, pelo baixista e segundo vocalista Gerald Casale e pelo respectivo irmão de cada um, ambos de nome Robert, por isso chamados Bob I (Bob Mothersbaugh) e Bob II (Bob Casale), mais um baterista que variou na formação.

O Devo é uma espécie de resposta punk ao Kraftwerk. Faz um tecnopop de forte acento punk e pós-punk, seu som é aparentemente "bobo" mas de excelente qualidade. É vibrante, equilibra humor com música, e seus integrantes também exercem atividades como produtores de estúdio, diretores de clipes, compositores de trilhas sonoras. O excelente programa educativo O Mundo de Beakman, por exemplo, tem a trilha sonora composta por Mark Mothersbaugh.

O grupo fez poucos covers, bem pessoais, das músicas "Satisfaction" dos Rolling Stones e "Are You Experienced?" , de Jimi Hendrix Experience. "Satisfaction" foi pessoalmente aprovada por um de seus autores, o sempre jovial Mick Jagger, que, dizem, dançou animado ao som da música.

O Devo lançou, de forma satírica, uma teoria bastante séria - afinal, seus membros têm de fato origem universitária e lá as universidades são levadas a sério - , que é a Teoria da Devolução.

Segundo essa teoria, a evolução da tecnologia na sociedade capitalista ocorria de tal forma que o ser humano passa a sofrer o processo de "devolução", regredindo para os instintos primitivos. Em outras palavras, o ser humano se tornaria cada vez mais desumano e selvagem num mundo tecnocrático.

Pior é que a tese não só se confirma no mundo globalizado de hoje, em que nada mais sensibiliza as pessoas, e no Brasil ela se torna ainda cada vez mais evidente, pois o país dominado pela violência coronelista, pela corrupção política e pela breguice musical o ser humano se torna cada vez mais insensível até com ele mesmo.

Por isso é legal haver grupos como o Devo, embora a maioria das pessoas ache suas músicas completamente estranhas. E agradecemos a isso ao talento dos caras, sobretudo do seu dedicado vocalista e músico.

Parabéns a Mark Mothersbaugh e longa vida a ele!!

Nenhum comentário: