quarta-feira, 26 de maio de 2010

HOMENS SACRIFICAM OS PÉS EM ATÉ 42% DE HORAS POR SEMANA



A vaidade, acima de tudo. Em detrimento do conforto para os pés, e a pretexto do "bom gosto".

A constatação que temos é que boa parte dos homens considerados "de sucesso", desde os universitários com carreira em ascensão até os profissionais liberais e empresários com uma boa carreira, sacrificam os próprios pés usando os desconfortáveis e sisudos sapatos de couro e de verniz.

Mesmo alguns sapatos com calços acolchoados e pontas redondas não resolvem o problema. E, ainda assim, são justamente os sapatos pontudos e de calços menos confortáveis que continuam sendo os prediletos dos homens, sobretudo para os eventos considerados "sociais". Não é à toa que esses sapatos ganham o tendencioso nome de "sapatos sociais".

A frequência de uso desses sapatos chega a ocupar até 42% do total de horas por semana. Geralmente nas 10 horas diárias que compreendem ida e volta da casa para o trabalho e almoço, mais os compromissos sociais dos fins de semana. Se estes compromissos ocuparem dias consecutivos, como sexta-feira, sábado e domingo, quando se estima um total de pouco mais de quatro horas, o tempo total de uso desses sapatos fica em torno de 70 horas por semana, ou seja, 42% de um total de 168 horas semanais.

Isso faz uma diferença negativa para os homens que, sem brilho próprio, dependem do brilho artificial desses sapatos bem engraxados. Não se pode ser uma usina de ideias o tempo todo, e os empresários e profissionais liberais considerados "de sucesso" têm nesses sapatos "sociais" um piloto automático para suas carreiras, um símbolo de ostentação e luxo que lhes dá a falsa impressão de "homens sérios".

Só que, nessas cerca de 70 horas, ao longo de 40 anos de uso desses sapatos "sociais", podem render sérias dores nas articulações na velhice. Não adianta disfarçar os malefícios com andanças lentas, que é o que os homens considerados "finos" fazem, quando vão e vem das festas e dos eventos em caminhadas pachorrentas, quando não têm os carros a seu dispor (eles ou não dirigindo tais veículos).

Isso pode causar problemas quando eles se aposentarem, pois o semi-sedentarismo sobre sapatos que eles usam por cerca de quatro décadas pode se converter no sedentarismo dolorido de colunas problemáticas, pés quase sangrando, articulações sofridas.

Por isso é que muitos idosos acabam tendo dor de coluna, dores nas articulações, dores nos pés, não aguentando mais de tanto andar, ou mesmo não aguentando sequer a menor e mais lenta caminhada. É porque, em nome da "sofisticação", da "seriedade" e do "bom gosto", eles maltataram os próprios pés. Atitude que, no fundo, é de muito mau gosto.

Nenhum comentário: