quarta-feira, 12 de maio de 2010

DEPOIS DE O GLOBO, FOLHA FALA DE MICHAEL SULLIVAN



Depois de O Globo publicar artigo sobre Michael Sullivan, a Folha de São Paulo, com um pouco menos de pretensiosismo (pelo menos não tentou nivelar o cantor brega a Tom Jobim), publicou um texto favorável ao cantor e compositor brega.

Talvez o pretensiosismo de O Globo se deva ao fato de que Michael Sullivan ter sido protegido da Rede Globo nos anos 80.

Mesmo assim, Michael Sullivan falou mal das rádios segmentadas e disse que queria ouvir uma música sua ao lado da de Chico Buarque. Neste caso, o pretensiosismo foi da parte do próprio compositor.

Numa época que a mídia golpista tenta reabilitar a música brega, as manobras se tornam mais sutis e agressivas, com direito até mesmo a tráfico de influência na imprensa de esquerda, recurso favorecido pela visão etnocêntrica de muitos intelectuais de esquerda, pessoas de classe média alta com uma visão fantasiosa do povo pobre.

Tem-se a impressão, falsa, de que é muito bonito a classe média ouvir Michael Sullivan, Alexandre Pires, dançar o "rebolation" e o "pancadão", curtir tecnobrega e endeusar Waldick Soriano. Mas ninguém diz que é bonito as classes pobres ouvirem Turíbio Santos, Rafael Rabello, Jacob do Bandolim.

Pura hipocrisia de quem quer ver a música brega e seus derivados dominando o país do Oiapoque ao Chuí, das "moradias" debaixo da ponte às universidades.

Nenhum comentário: