quinta-feira, 13 de maio de 2010

ATRIZES 'TEEN' SÃO AS MULHERES DO FUTURO


Acima, a partir da esquerda, as musas da Nickelodeon: Miranda Cosgrove, Victoria Justice, Emma Roberts e Lily Collins. Abaixo, a partir da esquerda, as musas da Disney: Demi Lovato, Emily Osment, Chloe Bridges e Selena Gomez.

O Brasil está atrasado. Ainda preso às musas popularescas, que só vivem de vender o corpo para a mídia, a ponto de fazer até coisas constrangedoras como posar amarradas em árvores ou pôr sal na piscina para dar um clima praieiro em casa, o país não consegue esconder que sua pseudo-modernidade pop não passa de uma coisa retrógrada e frouxa. Mulheres-frutas, ex-dançarinas de pagode, boazudas do BBB e outras popozudas, "cachorras" e "tchutchucas" em geral, só conseguem mesmo animar a milícia talifã e seu fundamentalismo midiático. No entanto, a maioria dessas boazudas está solitária, a despeito delas serem consideradas "as mais desejadas do país".

Nos EUA, porém, uma nova geração de mulheres - algumas delas já chegando à maioridade - , surpreende pela inteligência e pela beleza sem pretensões "sensuais". Atrizes adolescentes que acabam se tornando musas naturalmente, e até conseguem ser sensuais sem fazer qualquer tipo de apelação nem forçar no contexto pornográfico, primeiro por elas serem ídolos infanto-juvenis e segundo porque a pornografia representa vulgaridade e grotesco.


EMMA WATSON - A musa infanto-juvenil se transformou numa mulher encantadora e sofisticada.

Depois que Emma Watson, atriz franco-inglesa lançada pela série de longas Harry Potter no papel da bruxinha Hermione, demonstrou ser uma das mulheres mais lindas e charmosas do mundo, surpreendendo até mesmo o conceituado estilista de moda Karl Lagerfeld, outras musas se tornam futuras promessas, já impressionando por serem muito mais do que rostos femininos lindos.

Os canais infanto-juvenis Disney Channel e Nickelodeon se tornam os meios de lançamento dessas musas. Da Disney, vemos Demi Lovato como a musa maior, embora Taylor Swift, hoje conceituada cantora country, e Miley Cyrus, são também estrelas lançadas pelo canal. Mas Miley, talvez pelos seus excessos, duetando com cantor poser e aderindo ao gangsta rap, não é o melhor exemplo dessas musas emergentes, sendo apenas continuação de um padrão simbolizado por Britney Spears, Beyoncé e Lady Gaga.

Melhor sorte tem a parceira de Miley em Hannah Montana, Emily Osment, esta sim um símbolo de musa emergente, assim como outras atrizes da Disney, como Selena Gomez e Chloe Bridges (que se destaca pelas formas esculturais e pelos sedutores lábios grossos). Mas a rede Nickelodeon também não fica atrás no lançamento de novas musas.

Da Nick, a maior estrela é a atriz Miranda Cosgrove, protagonista do seriado iCarly. A simpática menininha do filme A Escola do Rock, com Jack Black, não parecia que iria se transformar na estonteante atriz e cantora dos dias atuais, com seu rosto já desenhando traços bem sensuais.

Mas antes dela, Emma Roberts, a sobrinha de Julia Roberts, já havia sido a estrela da Nick, fazendo o seriado Unfabulous. Hoje, no entanto, ela está livre para fazer longa metragens.

Há também a atriz e cantora Victoria Justice, que já exibe uma formosura de morena sensual e desesperadoramente bela. E há também Lily Collins que, apesar de ser filha do cantor e baterista Phil Collins (que, pelo jeito, deve perder o sono imaginando quantos genros ele teria em potencial devido à filhinha famosa), não se envolve com música.

O ponto comum entre as musas emergentes da Disney e Nickelodeon é que, mesmo no seu universo teen, elas mostram substância, não se limitando a ser rostos lindos. Elas apresentam referenciais de conhecimento e cultura que põem no chinelo as recentes musas brasileiras do Big Brother Brasil. Imagine então compará-las às mulheres-frutas, garotas-da-laje e outras musas mais bregas. A pouca idade das garotas da Disney e Nick não é empecilho para elas provarem que têm grande potencial.

DAKOTA FANNING SURPREENDE PELA INTELIGÊNCIA


DAKOTA FANNING - A atriz mirim de doces traços infantis se transformou numa mulheraça e recentemente fez papel de roqueira sexy.

Quem acompanhou a atriz Dakota Fanning desde o início, guardou na memória a imagem daquela simpática e extrovertida menininha, de traços tipicamente infantis, de seus primeiros filmes.

No entanto, o tempo passou e Dakota, hoje com traços adolescentes, já esboça uma beleza sedutora que começa a mostrar um rosto sensual.

Mas, mesmo quando era criança, Dakota surpreendia pelas entrevistas que dava, mostrando desenvoltura, sensatez e inteligência. E hoje, aos 16 anos, ela se torna também um símbolo de musa emergente, capaz de gerar, em breve, o mesmo impacto que Emma Watson causou, ajudando a abrir o caminho para as musas da Disney e Nick trilharem.

Recentemente, Dakota Fanning surpreendeu também por fazer o papel de Cherry Currie, do grupo feminino Runaways, junto à atriz da saga Crepúsculo, Kristen Stewart, que interpretou Joan Jett. As duas receberam o aval das próprias cantoras, que gostaram do desempenho das duas jovens. E Dakota impressiona porque ainda é recente sua imagem de doce menininha e ela esbanja uma sensualidade natural e provocante.

ISABELLE DRUMMOND É ESPERANÇA PARA O BRASIL


ISABELLE DRUMMOND - A atriz niteroiense que começou como a Emília do Sítio do Picapau Amarelo e hoje é uma linda mulher.

No Brasil ainda dominado por musas popularescas, surge a esperança da mulher do futuro, que não sejam as mulheres sofisticadas apegadas a maridos poderosos e sisudos nem as mulheres vulgares que se limitam a mostrar o corpo e ir a noitadas.

A maior aposta dessa nova imagem da mulher está na atriz niteroiense Isabelle Drummond, que foi lançada pela versão 2000-2001 do Sítio do Picapau Amarelo, da Rede Globo, e recentemente fez a deliciosa Bianca de Caras e Bocas.

Sem depender da promoção às custas de micaretas e "bailes funk" - obrigações contratuais que marcaram as carreiras de muitas jovens atrizes - , Isabelle Drummond chega a roubar a cena como atriz, tal é sua desenvoltura.

Sua postura pé-no-chão, que reúne inteligência e simplicidade, também surpreende, tal qual sua beleza facial encantadora, que já rendeu comparações com a também encantadora Leighton Meester, a sexy cantora e atriz de Gossip Girl.

A conclusão que se tem é que essas musas de filmes e seriados infanto-juvenis simbolizam a mulher do futuro, numa época em que a vulgaridade das mulheres-objetos entra num irreversível processo de declínio que alguns tentam reverter e não conseguem.

Porque as novas musas são bonitas, formosas e sexy. Mas também são muito mais do que tudo isso. Aí está a diferença.

Um comentário:

Lucas Rocha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.