quinta-feira, 6 de maio de 2010

ATÉ O RECBEAT NÃO É MAIS AQUELE



Quem lê este blog entende a obviedade com que pessoas físicas e jurídicas associadas a movimentos culturais de vanguarda traem seus princípios e sucumbem ao establishment midiático da pior maneira possível.

Vemos pessoas físicas como Pedro Bial, Patrícia Pillar, Hermano Vianna, Regina Casé e Bia Abramo se vendendo para o mais rasteiro popularesco midiático. Vemos pessoas jurídicas como o Circo Voador e a Fundição Progresso entregando os pontos e jogando sua história no lixo, tudo por conta de um popularesco brega que lhes rende mais dinheiro.

Agora é o RecBeat, evento realizado em Recife, e que em outros tempos era o reduto do mangue beat. Tempos de Chico Science, comandando a cena, agitando a plateia. Mas hoje, muitos anos depois de Chico Science ter nos deixado, o RecBeat traiu seu público, mostrando o medonho tecnobrega, que nada tem a ver com a antropofagia cultural que o mangue beat tanto significou.

Afinal, o mangue beat, movimento independente, organizado pelos próprios músicos e intelectuais, assimilava elementos estrangeiros, mas os traduzia numa fórmula original, culturalmente legítima, artisticamente marcante.

Já o tecnobrega, coitado, sucumbe ao anti-regionalismo típico das regiões marcadas pelo latifúndio, com "artistas" que você vê logo de cara que são tutelados por empresários, que se limitam a fazer versões de música estrangeira em arranjos malfeitos e sofríveis. Aí tem a Gabi Amarantos, a versão tecnobrega da Beyoncé, e tem um monte de grupos medíocres, verdadeiras piadas sem graça. E, se o forró-brega massacrou "The Unforgettable Fire" do U2, o tecnobrega, mais ambicioso, triturou "Blue Monday" do New Order. Pensam que, com isso, as marias-bobeiras que curtem tecnobrega compensam a falta de uma mulher tipo Elaine Bast, que por sinal está casada com um executivo de banco? Não, não compensam.

RecBeat, lamentavelmente, virou EjectBeat. Os mangue boys por sinal preferem ficar em casa ouvindo seus discos, ou indo para outros redutos livres da Música de Cabresto Brasileira.

Nenhum comentário: