quinta-feira, 1 de abril de 2010

O "INSTITUTO MILLENIUM" DA BUSOLOGIA


JAIME LERNER, POUCOS SABEM, É LIGADO AO PARTIDO DEM.

Como dissemos, a "curitibanização" do transporte coletivo no Brasil é um projeto herdado da ditadura militar.

Mas poucos têm noção disso, e desconhecem o quanto esse projeto está para a busologia assim como o Instituto Millenium está para os valores sociais como um todo.

E poucos reconhecem que Jaime Lerner, o arquiteto que defende projetos impopulares como menos ônibus nas ruas e a pintura padronizada dos ônibus (que dificultaria o passageiro comum de reconhecer a empresa de ônibus que serve uma linha), foi formado pela mesma UFPR comandada pelo reitor Flávio Suplicy de Lacerda, depois ministro da ditadura no governo Castello Branco e artífice do acordo MEC-USAID.

Lerner fez pós-graduação dentro do contexto tecnocrático e anti-social da universidade do período militar, se filiou à ARENA (Aliança Renovadora Nacional) para seguir carreira política e foi prefeito biônico de Curitiba. Cidade que estranhamente quase não mostra fotos de ônibus antigos na Internet. Cadê os ônibus curitibanos dos anos 60, por exemplo?

Mas, para certos busólogos, o tecnocrata Jaime Lerner ainda vive seus tempos de "divindade" que, no âmbito do radiojornalismo, Heródoto Barbeiro havia vivido até pouco tempo atrás. Quem não se lembra dos elogios derramados, entusiasmados, a Heródoto Barbeiro com seu "jornalismo completo e reflexivo" da TV Cultura? Gente que dizia "o Jornal Nacional não presta, mas Heródoto Barbeiro é um gênio". Isso até ele se revelar funcionário das Organizações Globo (as mesmas que investem no Jornal Nacional) e mostrar seu direitismo que deixou até os colegas "globais" da CBN (Miriam Leitão, Arnaldo Jabor e outros) boquiabertos.

Será que, com o Brasil dominado pelas elites conservadoras, até mesmo o transporte coletivo têm que ficar nas mãos de tecnocratas sem a menor vivência social do transporte? Que são capazes de, se possível, até destruir patrimônios públicos ou casas populares inteiras para botar pistas exclusivas para ônibus? E cujo conhecimento sobre transporte se reduz a meros cálculos matemáticos, projetos ficticiamente eficazes e uma visão elitista que mal consegue esconder que é, em parte, influenciada pelo lobby dos fabricantes estrangeiros de automóveis?

Temos que pensar nisso, e em outras coisas, porque senão até o ar que respiramos será um privilégio das elites detentoras do poder, incluindo os tecnocratas.

4 comentários:

Marcelo Delfino disse...

Antes de ler este texto, devo informar que Jaime Lerner deixou o DEM e se filiou ao PSB. Se o amigo Alexandre quiser apurar isso, fique à vontade.

É uma injustiça atribuir o nome de Jaime Lerner apenas aos DEMos.

O Kylocyclo disse...

Eu me baseei nas informações que colhi recentemente no Wikipedia. Bom, mas o PSB hoje não passa de um partido de aluguel, junto aos outros mortos-vivos PDT e PTB.

O Kylocyclo disse...

Eu me baseei nas informações que colhi recentemente no Wikipedia. Bom, mas o PSB hoje não passa de um partido de aluguel, junto aos outros mortos-vivos PDT e PTB.

Marcelo Delfino disse...

Aliás, Jaime Lerner também teve uma passagem pelo PDT, depois de sair do PFL.