domingo, 28 de março de 2010

SEJA SINCERO, EUGÊNIO RAGGI!!


LUÍS NASSIF - Além de jornalista, é também apreciador da MPB autêntica.

Eugênio Arantes Raggi faz muita falta aos fóruns do Instituto Millenium. Quem sabe tais eventos seriam mais divertidos com um cara que junta um discurso grotesco com tiradas irônicas, que certamente inspirariam os hoje direitistas Arnaldo Jabor e Marcelo Madureira nos seus comentários por enquanto mal-humorados (sim, em se tratando de Marcelo ser membro do Casseta & Planeta).

Mas Raggi tem medo, muito medo, de assumir seu apreço à Rede Globo, ao Partido da Imprensa Golpista, a Collor, Sarney, ACM, que ajudaram tanto nos ídolos musicais que o "professor" de Belo Horizonte tanto defende. Prefere dar falsa impressão para a plateia, se infiltrando nos portais que contestam a grande mídia.

Seja coerente, Eugênio Raggi!!

Eugênio Raggi condena a MPB feita entre 1930 e 1968, que para ele é reflexo de uma mentalidade nacionalista maquiavelicamente traçada por Getúlio Vargas. Raggi também desceu farpas violentas aos partidos de esquerda. O que significa isso? Significa que, juntando o ódio ao nacionalismo ao ódio à esquerda, Raggi seria um perfeito golpista, estando nas primeiras fileiras dos defensores do Golpe de 1964.

Raggi, contraditoriamente, está inscrito no portal de Luís Nassif, um dos jornalistas críticos da grande mídia e que também é especialista em MPB autêntica. Portanto, as convicções culturais de Nassif deveriam causar asco em Eugênio Raggi, que chega ao ponto de dizer que o livro Eu Não Sou Cachorro, Não, de Paulo César Araújo, é uma "bíblia".

Por outro lado, seus ídolos Alexandre Pires, Exaltasamba e Banda Calypso, fora outras breguices, nada seriam se não fosse a forcinha das Organizações Globo, que Raggi deve pensar ser uma "inocente" divulgação. Ele deve acreditar que o sucesso da Banda Calypso se deu com o casal Chimbinha & Joelma pedindo esmola nos ônibus de Belém do Pará. Coitado. Alexandre Pires tornou-se fenômeno de mídia por causa do apoio da Rede Globo. Ou será que o sucesso dele, para Raggi, veio porque ele pedia dinheiro nas sinaleiras de BH, hein?

Se ele fosse menos cego na sua arrogância e fosse mais coerente no seu ponto de vista, assumindo seu direitismo, seu apreço à mídia golpista - certamente ele deve ser um fanático enrustido pela Rede Globo - , que tanto fez pelos seus ídolos. Vamos desejar que o protegido do prof. Raggi, que deve trabalhar nas afiliadas mineiras do SBT ou Record, seja contratado pela Rede Globo, porque assim facilitariam as coisas, e o professor mineiro será estimulado a ser mais sincero em suas abordagens midiáticas.

Mídia e entretenimento, no Brasil, se interrelacionam. Por isso, não adianta pegar pesado no reacionarismo cultural se ele é afrouxado nas questões da mídia. Está na cara o caráter golpista das opiniões de Eugênio Raggi, que odeia demais a esquerda para ele participar de sites que questionam o direitismo da grande mídia. Raggi deveria é ficar apegado ao Instituto Millenium e seus militantes. Porque suas opiniões são a face cultural do mesmo reacionarismo que move a mídia golpista de nosso país.

Nenhum comentário: