segunda-feira, 8 de março de 2010

PARANGOLÉ DIZ QUE PÚBLICO "ESCOLHE" OS SUCESSOS DO GRUPO



Em entrevista ao portal KBoing, o cantor do grupo de porno-pagode Parangolé, Léo Santana, disse que não é o grupo nem a produtora Saulo Produções (que empresaria o grupo) que decidem qual música do grupo vai fazer sucesso, mas o público do grupo.

Me engana que eu gosto. Como todo ícone da Música de Cabresto Brasileira, o Parangolé, que lançou o "rebolation" (REBOLEJO), trabalha sua carreira às custas do jabaculê (não seria, no caso, "jabaculation"?), num esquema mafioso que envolve políticos, donos de rádios, produtores de eventos e empresários dos grupos de axé-music, arrocha e porno-pagode, empresários esses que são verdadeiros donos desses grupos, como o próprio Parangolé, a ponto de decidirem trocar de vocalista, se ele passa a desgastar-se como a imagem desse grupo.

Portanto, não é o público, que aceita, feito carneirinho, qualquer tendência brega-popularesca que é empurrada pelas rádios, TVs e pela intelectualidade pelega, que decide qual vai ser o sucesso ou não de determinado intérprete. Se até os produtores, arranjadores e empresários se reúnem para decidir qual vai ser o cover que o Harmonia do Samba vai gravar, e perguntam ao Xanddy se ele topa ou não tal parada, como é que eles não podem decidir qual o próximo sucesso do Parangolé? Tudo é negócio, gente, nesse universo que é o verdadeiro propinoduto a degradar violentamente a nossa cultura.

Isso sem falar que, passada a suposta "novidade" do "rebolation" ou rebolejo, o Parangolé passará a gravar apenas discos de covers ou regravação de sucessos.

E o Parangolé já está lançando um CD "comemorativo", “Dinastia Parangoleira 10 anos ao vivo”, certamente o primeiro de uma série sucessiva de discos ao vivo que jogará mais um grupo para a galeria de ídolos popularescos que agora ficam feito cobra perseguindo o próprio rabo, enquanto enganam as pessoas vendendo a falsa aura de "novidade", enquanto o que fazem não passa de revival não-assumido.

Se é dessa forma, do mal disfarçado revival, que Ivete Sangalo, Alexandre Pires, Zezé Di Camargo & Luciano, Chitãozinho & Xororó, Banda Calypso, Calcinha Preta, Leonardo, Daniel, Exaltasamba e Parangolé querem ser considerados "grandes artistas", me desculpem, mas eles cada vez mais provam o contrário.

Um comentário:

Marcelo Pereira disse...

As declarações deletem por objetivo puxar o saco dos próprios fãs, para que estes se sintam mais "inteligentes" e possam perpetuar a admiração pelo grupo.

Esse tal de Parangolé tem claríssimos interesses financeiros em sua carreira. Senão estaria fazendo outra coisa.

Palavra chave exigida para aprovação deste comentário: FINGE. Sugestivo, não?