quarta-feira, 10 de março de 2010

MINHA AMADA FAZ ANIVERSÁRIO



Hoje é aniversário de uma mulher que eu amo, e que foi minha colega no segundo grau.

Foi minha paixão de adolescência, que não cheguei a namorar. Ela vivia quase todo o tempo comprometida, tanto que, há cerca de 20 anos, ela está casada com outro homem e tem dois filhos.

Na minha adolescência ainda em estado bruto, foi preciso conhecer essa mulher, uma morena linda e mineira, para eu saber o que é amar uma mulher. Para saber o que é respeitar uma mulher, valorizá-la não só pela beleza física ou pelo corpo formoso, se bem que ela é lindíssima e possui belas formas físicas, mas valorizá-la pela inteligência.

Ela é uma das raras mulheres brilhantes que conheço. No Brasil, infelizmente, se degrada muito a mulher, produzindo marias-coitadas e mulheres-frutas em série, para encher os organizadores de vaquejadas, micaretas, "bailes funk", de muito dinheiro. Por isso é que, raramente, há mulheres como a que eu amo até hoje, uma morena maravilhosa. Certamente, não direi o nome dela. Não interessa a vocês e respeito a privacidade da mulher que eu amo.

A minha tristeza não é somente de não tê-la como minha esposa, numa relação que certamente seria muito proveitosa para mim, não por eu ser dependente de uma mulher como essa, mas porque uma relação dessas traz muitos benefícios e vantagens.

A minha tristeza é ver que outras mulheres similares são muito raras. E estas, em sua maior parte, também são comprometidas. O que me resta, afinal? Viver sozinho, apesar do acesso fácil às marias-coitadas na vida amorosa. Mas o barato sai caro, e não aprecio o universo cafona delas. Nada tem a ver comigo. O que elas representam é algo que me lembra o título de uma das canções dos Beach Boys, "That's not me" ("Não sou eu"). E, como diz o ditado, é melhor eu viver sozinho do que mal acompanhado.

Fico triste pela minha situação, mas levanto a cabeça e sigo a vida. Resta aqui desejar felicidades a minha doce amiga, com sua família, e desejar a ela todo o sucesso. Que ela tenha saúde, vida longa, prosperidade. Parabéns a ela, que eu amo de verdade.

Um comentário:

Marcelo Pereira disse...

É, Alexandre, pelo menos a tua amada gosta de você como amigo, pois a minha eterna amada nem isso. Ela não quer me ver nem de longe.