quinta-feira, 25 de março de 2010

A FALTA DE RESPEITO DE OLAVO BRUNO


O MESTRE JOÃO GILBERTO TAMBÉM FOI ALVO DA GROSSERIA DO DEFENSOR DOS BREGANEJOS OLAVO BRUNO

Que o blog Mondo Pop espinafre os grandes nomes da MPB, é compreensível, pois é dedicado ao rock, sua perspectiva anti-MPB é ridícula, mas tem um motivo. Mas um cara como o Olavo Bruno querendo puxar o tapete da MPB para defender os ídolos breganejos, não se pode admitir.

Olavo Bruno que, como sabemos, é colega de reacionarismo de Eugênio Raggi, tem apetite em dobro para baixar a lenha na cultura de qualidade. É como se baixasse o espírito de Marcelo Fromer e suas defesas da música brega no pessoal do Instituto Millenium. Raggi já espinafrou a coitada da Roberta Sá, que tem uma luta, não foi pupila de empresário de bloco carnavalesco baiano, nem de empresário ligado a rodeios e vaquejadas, com o mesmo apetite desmoralizador que Olavo Bruno teve quando espinafrou Maria Rita Mariano.

No caso de Olavo, quando o Mondo Pop baixa a lenha na MPB, o internauta baixa em dobro. Se o Mondo Pop tem sede de destruir a MPB, Olavo tem fome, e que fome. E quando eu tentei consultar a palavra-chave "Olavo Bruno", para procurar o paradeiro do bregaiato que espinafrou até este blog, deparei com outras mensagens que o reacionário despejou no mesmo Mondo Pop, desta vez para fazer mais barulho que o articulista, nos seus ataques aos grandes nomes da MPB.

E o alvo desta vez, foi João Gilberto, definido como "mala sem alça". Olavo Bruno Ferreira de Souza, o nome completo do reaça, chega a dizer, de forma bem grosseira: "se for por mim joão gilberto morreria de fome o cara fresco".

Depois sou eu que, fazendo críticas duras porém não caluniosas contra Alexandre Pires e Zezé Di Camargo & Luciano, é que sou grosso, baixo nível. Nunca disse para Alexandre Pires morrer de fome. Nunca fiz qualquer comentário maldoso contra ele ou quem quer que seja. Só falei que eles eram cantores medíocres e critiquei dentro dessa perspectiva.

Mas o reacionário Olavo Bruno tem coragem de depreciar um dos mestres da música brasileira, considerado o inventor da linguagem definitiva da Bossa Nova, e tem a coragem de se achar com a moral alta para isso. Ele, como Eugênio Raggi, pensa ser o juiz maior de nossa cultura, o possuidor da verdade definitiva e inquestionável, a ponto de ambos partirem para grosserias sem tamanho. E ainda veio Francielle Siqueira para fazer coro a eles, no reacionarismo.

Até que ponto a mediocridade musical de nosso país chegou. Chegamos ao triste ponto de não podermos mais defender a MPB autêntica, ou de criticar os ídolos bregas e neo-bregas que, sim, são tutelados pela mídia. E não adianta Eugênio e Olavo espinafrarem a Rede Globo, porque eles deveriam se ajoelhar para a emissora dos irmãos Marinho que tanto fez para fazer crescer o sucesso de seus ídolos.

Olavo Bruno tem que agradecer à Globo porque, sem ela, a axé-music já teria voltado ao seu provincianismo original de Salvador e Ivete Sangalo não estaria fazendo sequer propaganda de tintura pirata para cabelos. E nem a Boca do Lixo teria interesse em fazer Os Dois Filhos de Francisco.

Isso também mostra que os defensores do brega-popularesco não estão aí para ética, nem para estética, nem para respeito humano. Só que o feitiço se virá contra o feiticeiro e há algum tempo Olavo e Eugênio fugiram da Internet. Como covardes que, quando são visados por algum delito, fogem de medo.

Nenhum comentário: