quarta-feira, 24 de março de 2010

EDU LOBO DEPENDE DE TELEJORNAL PARA RETOMAR A CARREIRA


De fato, é uma notícia digna de telejornais ou artigo de imprensa. No entanto, o contexto é de pura dependência dessa mídia para a MPB autêntica, injustiçada e discriminada do grande público, manter algum cartaz na mídia, dentro do mercado perverso em que vivemos.

Enquanto mediocridades como Belo pensam em se apresentar na Europa, só esperando chegar às mãos o investimento necessário para isso - já que existem quem invista nele - , e reacionários ainda perdem tempo defendendo Alexandre Pires e Zezé Di Camargo em mensagens de baixo nível contra nosso blog, os verdadeiros artistas são os verdadeiros injustiçados.

Sim, porque enquanto um Waldick Soriano, no final da vida, se dá ao luxo de ter uma recepção digna de um velho "coronel" do Nordeste, Edu Lobo e Carlinhos Lyra, antes jovens galãs e grandes artistas, junto a Chico Buarque, da MPB engajada dos anos 60, talentos surpreendentes já naquela época, hoje são dois humildes cantores em busca de divulgação. Chico ainda parece no portal Ego (Organizações Globo) com uma possível nova paquera.

Mas Edu e Carlinhos não contam com a mesma sorte. Carlinhos Lyra, recentemente, apareceu na sede da União Nacional dos Estudantes com uma humildade autêntica que não existe num Odair José da vida. E Edu Lobo, com uma simplicidade de um artista que passou por dificuldades e ficou até doente, apareceu hoje no Bom Dia Brasil.

Edu afirma que, depois de 15 anos, quer gravar novo disco, com inéditas, e fazer concertos mostrando novas músicas e antigos sucessos, sobretudo "Arrastão", "Upa Neguinho" e "Lero-Lero". "Lero-Lero" tem um refrão que poderia ser muito bem a queixa de nós, nerds, contra as marias-coitadas que nos assediam e contra o comprometimento afetivo das mulheres classudas: "Sou brasileiro / Estatura mediana / Gosto muito de fulana / Mas sicrana é quem me quer".

Edu Lobo era um discípulo dos grandes mestres da MPB. Hoje ele também é um dos mestres. É, também, o verdadeiro representante da nossa música universitária, do contrário que os neo-bregas "universitários" de hoje, mais próximos dos "universotários" previstos por João Penca & Seus Miquinhos Amestrados nos anos 80.

E, numa época em que os ídolos popularescos tentam se enrolar na mídia com covers, duetos, DVDs ao vivo e visitas ao Faustão na TV aberta, o retorno de um grande nome da nossa música autenticamente brasileira é uma notícia e tanto.

Um comentário:

MN disse...

Edu Lobo é um dos grandes mestres da MPB. Suas músicas são poéticas, agradabilíssimas. Lamentável, pois, que as novas gerações - anabolizadas pelos modismos inventados pela mídia não o conheçam. Aliás, nossos verdadeiros compositores e intérpretes foram sucumbidos diante desses imbecis que se dizem "cantores". Triste Brasil!