terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

TELECINE CULT E A ACEITAÇÃO PASSIVA DE SEUS EQUÍVOCOS


Fazem falta pessoas como o crítico de cinema Walter da Silveira e o estudioso Paulo Emílio Salles Gomes, de intelectuais como Glauber Rocha - que, antes de ter sido um cineasta dos grandes, era também um pensador de cinema - , ou mesmo de alguém não diretamente ligado ao cinema como o nosso Sérgio Porto, que às vezes adotava o codinome Stanislaw Ponte Preta.

Pois o TeleCine Cult, maior equívoco da Rede TeleCine - poderia ter mantido o nome TeleCine Clássico, seria menos pretensioso - , insiste em passar filmes comerciais como se eles fossem alternativos. Fica um quê de "superioridade imperialista" dos EUA, como nos lembrou Bruno Melo no seu blog Cultura Alternativa, uma vez.

Mas ninguém reclama. Vou na busca do Google com a palavra-chave "TeleCine Cult" e tudo fica como se tanto faz ou tanto fez. A passividade e a desinformação do pessoal é tamanha. Pior: teve uma comunidade sobre cinema alternativo no Orkut e eu fiz a queixa, de que o canal exibia filmes comerciais norte-americanos, algo que seria risível nos tempos dos antigos cineclubes. Aí veio um carinha que, para justificar qualquer absurdo, sempre minimiza o problema com desculpa. Ele logo disse que é porque, com tanto filme com sexo e violência, os filmes comerciais do TeleCine Cult pelo menos são uma "alternativa".

Essa desculpa é absurda. Principalmente se vermos que, no Canal Brasil, espécie de "primo pobre" do TeleCine Cult em termos de proposta - aproximadamente falando - , as pornochanchadas andam sendo promovidas como "relíquias cult" (!). E o TeleCine Cult, que alegra tanto marmanjão, tanto crítico sessentão que não tem mais o que reclamar, já passou Robocop, Steven Seagal, com toda a porradaria, sem cortes.

Mas até dizer que a fase áurea de Hollywood é agora "cinema alternativo" é inadmissível. Até porque gerações inteiras de cinéfilos, de críticos e de estudiosos de cinema sempre contestaram o mundo fantasioso de Hollywood. Foi para negar esse universo fantasioso que o verdadeiro cinema alternativo se desenvolveu.

Agora uns e outros são considerados por alguns idiotas como sendo a mesma coisa, e nenhuma reclamação é feita. Fica uma passividade revoltante, ridícula, de gente que se julga inteligente mas se comporta como verdadeiro banana. Se para essas pessoas, tanto faz se cinema alternativo for Luís Buñuel ou Steven Spielberg, é sinal de que algo está errado. E muito errado.

A essas alturas, dá vontade de gritar "COOOOOORRRRRRTAAAAAAAAAAA"!

Um comentário:

Marcelo Delfino disse...

Deviam voltar com o nome Telecine Classic. Já que a proposta do canal é só exibir filmes antigos. Cult ou não cult. Inventaram de botar alguns raros filmes alternativos e resolveram rebatizar o canal para Telecine Cult, misturando alhos com bugalhos.

Agora mesmo estão exibindo nas quartas de agosto, às 22h, um festival de filmes do diretor John Hughes. Sou fã do cara e tudo, mas aqueles filmes de adolescentes são no máximo clássicos do cinema pop americano.

Pelo menos não programaram Curtindo a Vida Adoidado, o mais manjado filme de John Hughes, campeão de exibições na TV aberta.