terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

GUIMARÃES ROSA CHEGOU A PERDER CONCURSO LITERÁRIO


Lembrou o falecido escritor e acadêmico Josué Montello, no seu livro de memórias Diário da Manhã, que um dos primeiros livros do escritor João Guimarães Rosa (1908-1967), o poético Magma, de 1936, perdeu a colocação para um outro poeta, que, na época, foi bastante badalado ao vencer o concurso. No entanto, este poeta, estrela maior no seu tempo, hoje tornou-se esquecido, profundamente esquecido.

Por outro lado, Guimarães Rosa, o preterido, obteve a verdadeira vitória da posteridade, tendo recebido o justo reconhecimento como um dos maiores escritores brasileiros.

Fico imaginando a música brasileira de amanhã, quando o fôlego publicitário dos ídolos popularescos se esgotar, quando ficará cada vez mais difícil para eles continuarem enrolando a gente por 55 anos ou mais, com sua pseudo-MPB que lota rodeios, micaretas, "bailes funk", programas de auditório. Hoje eles são badalados, mas amanhã...É bom esses ídolos se prepararem para o inevitável ostracismo.

Nenhum comentário: